Fragmento 127

Não me indigno, porque a indignação é para os fortes; não me resigno, porque a resignação é para os nobres; não me calo, porque o silêncio é para os grandes. E eu não sou forte, nem nobre, nem grande. Sofro e sonho. Queixo-me porque sou fraco e, porque sou artista, entretenho-me a tecer musicais as minhas queixas e a arranjar meus sonhos conforme me parece melhor a minha idéia de os achar belos.

Só lamento o não ser criança, para que pudesse crer nos meus sonhos”

Fernando Pessoa .

As palavras

Terminei no domingo de ler A Menina que Roubava Livros. O que tenho a dizer sobre o livro? Simplesmente inspirador, mágico, lindo, triste, maravilhoso. No livro ressalta-se muito a força e a magia das palavras e como elas podem salvar ou condenar. Pensando nisso e ainda muito emocionada com o livro, lembrei-me de uma citação que merece ser registrada aqui:

As palavras sempre ficam. Se me disseres que me amas, acreditarei, mas se escreveres que me amas, acreditarei ainda mais. Se me falares da tua saudade, entenderei, mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo. Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei, mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor… e assim são as palavras escritas: possuem um magnetismo especial, libertam, acalantam, invocam emoções. Elas possuem a capacidade de em poucos minutos cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis. Muitas vezes, infelizmente, perde-se o Autor, mas a mensagem sobrevive ao tempo, atravessando séculos e gerações. Elas marcam um momento que será eternamente revivido por todos aqueles que a lerem. Viva o amor com palavras faladas e escritas, mate saudades, peça perdão, aproxime-se, recupere o tempo perdido, insinue-se, alegre alguém, ofereça um simples ” bom dia “, faça um carinho especial. Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras. Sua força é imensurável. Lembre-se sempre do poder das palavras. Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo“.

Silvana Duboc .

Não deixe isso se perder…

“Chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa. Ou não diga nada, mas chegue mais perto. Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada. Daqui há pouco você vai crescer e achar tudo isso ridículo. Antes que tudo se perca, enquanto ainda posso dizer sim, por favor, chegue mais perto

Caio Fernando Abreu in Ovelhas Negras.

Cuide bem do seu amor

♪ A vida sem freio me leva, me arrasta, me cega
No momento em que eu queria ver
O segundo que antecede o beijo
A palavra que destrói o amor
Quando tudo ainda estava inteiro
No instante em que desmoronou
Palavras duras em voz de veludo
E tudo muda, adeus velho mundo
Há um segundo tudo estava em paz ♪

. Paralamas do Sucesso .

Saudades

♪ One night to be confused
One night to speed up truth
We had a promise made
Four hands and then away ♪

. Heartbeats – José Gonzales .

O Tempo

“Você já se perguntou quanto tempo demora pra você mudar sua vida? Quanto tempo é o bastante para alterar sua vida? Sua vida pode mudar em um mês? Ou uma semana? Ou em um único dia? Nos sempre estamos com pressa, para crescer, para ir em lugares, seguir adiante. Mas quando você é jovem… uma horapode mudar tudo.”

Autor Desconhecido .

“O tempo leva tudo. O que você quer e o que não. O tempo leva tudo. O tempo arrasa com tudo. E, no final, só resta a escuridão. Às vezes, encontramos outros nessa escuridão. E outras vezes, perdemos eles de novo

Stephen King .

Sempre… Clarice

“O que me atormenta é que tudo é por enquanto, nada é sempre“.

Clarice Lispector in Um Sopro de Vida .

Diálogo Interrompido

Ele era triste e alto. Jamais falava comigo que não desse a entender que seu maior defeito consistia na sua tendência para a destruição. E por isso, dizia, alisando os cabelos negros como quem alisa o pêlo macio e quente de um gatinho, por isso é que sua vida se resumia num monte de cacos: uns brilhantes, outros baços, uns alegres, outros como um “pedaço de hora perdida”, sem significação, uns vermelhos e completos, outros brancos, mas já espedaçados.
Eu, na verdade, não sabia o que retrucar e lamentava não ter um gesto de reserva, como o seu de alisar o cabelo, para sair da confusão. No entanto, para quem leu um pouco e pensou bastante nas noites de insônia, é relativamente fácil dizer qualquer coisa que pareça profunda. Eu lhe respondia que mesmo destruindo ele construía: pelos menos esse monte de cacos para onde olhar e de que falar. Perfeitamente absurdo. Ele, sem dúvida, também o achava, porque não respondia. Ficava muito triste, a olhar para o chão e a alisar seu gatinho morno

 Clarice Lispector in Uma Aprendizaem ou
O Livro dos Prazeres

Fragmento 28

“Um hálito de música ou de sonho, qualquer coisa que faça quase sentir, qualquer coisa que faça não pensar”

Fernando Pessoa .

Um dia lindo!

Abri os olhos devagar e vi. Sol. Fraco. Mas sol. Bom, gostoso. E um friozinho agradável. Não aquele frio cortante de ontem. Suspirei. Levantei, banho gostoso, roupa quentinha, caxicol feito pela tia, mp3 tocando “All for love” Chip Jenkins. Lá fora o dia está realmente lindo. Céu totalmente azul. E muito embora aqui dentro o tempo esteja nublado, aliviou um pouco a tensão, a dor, as angústias. “Que seja doce“. E até tirou um sorriso.