Fragmento 139

Há muito tempo que não escrevo. Têm passado meses sem que viva, e vou durando, entre o escritório e a fisiologia, numa estagnação íntima de pensar e de sentir. Isto, infelizmente, não repousa: no apodrecimento há fermentação. Há muito tempo que não só não escrevo, mas nem sequer existo. Creio que mal sonho. As ruas são ruas para mim. Faço o trabalho do escritório com consciência só para ele, mas não direi bem sem me distrair: por detrás estou, em vez de meditando, dormindo, porém estou sempre outro por detrás do trabalho. Há muito tempo que não existo. Estou sossegadíssimo. Ninguém me distingue de quem sou. Senti-me agora respirar como se houvesse praticado uma coisa nova, ou atrasada. Começo a ter consciência de ter consciência. Talvez amanhã desperte para mim mesmo, e reate o curso da minha existência própria. Não sei se, com isso, serei mais feliz ou menos. Não sei nada. Ergo a cabeça de passeante e vejo que, sobre a encosta do Castelo, o poente oposto arde em dezenas de janelas, num revérbero alto de fogo frio. À roda desses olhos de chama dura toda a encosta é suave do fim do dia. Posso ao menos sentir-me triste, e ter a consciência de que, com esta minha tristeza, se cruzou agora – visto com ouvido – o som súbito do elétrico que passa, a voz casual dos conversadores jovens, o sussurro esquecido da cidade viva. Há muito tempo que não sou eu

. Fernando Pessoa .

3 comentários em “Fragmento 139

  1. 1 – ja comentei “pessoalmente”, mas gostei muito do novo lay-ou, ainda mais do elefante. Deve ser assombroso em parede inteira.

    2 – prefiro como interprete, tema, ritmo e demais características Evanescence a June de Toth.

    3 – “Começo a ter consciência de ter consciência”. Simplesmente abismado em como fragmentos podem ser tão completos, tão maiores.

    4 – Hoje estou numérico 😛

  2. Engraçado.. sabe que eu me sinto do mesmo jeito? principalmente quando eu meio que parei de escrever no meu blog todos os dias e tantas outras coisitas…

    Acho que quem escreve tem seu mundo próprio sabe? E quando para de escrever sente falta, não consegue mais se sentir, e ver as coisas com a mesma magnetude. Tipo ficamos dependentes huaahuahau

    Nossa né, eu tava pensando.. eu entro no seu blog e nem dou oi?? ahuhaua entao, oi tudo bom?^^ Leio seus blogs desde *pensando* desde que voce tinha um que era “Just Breath” no blogger.. isso se não estou trocando os blogs, pq sempre fui de ler de monte tudo que vejo.

    Que mais.. eu vi que voce passou lá no meu^^.. brigadinha pelo coments^^.. n repara q ele realmente é sem pretensoes, é o blog mais confuso que ja fiz em toda minha vida.. tem de tudo um pouco. 😛 E ainda to atualizando e procurando os posts perdidos nos meus cadernos e no meu pc.. uma bagunça>.

  3. Que lindo !!!

    Fernando Pessoal não requer elogios, não é mesmo ?

    beijos, a foto esta muito lindinha, a gente para e reflete sobre ela, só faltam as musiquinhas, mas isso, depois vc coloca, afinal é a Consultora de Blogs, agora deixa eu voltar para os meus Mini-cases…rs..

    beijos

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.