Coleção de Memórias

 Ly {Jennifer Connelly}

Fiquei a pensar quantos momentos passamos juntos. Quantas palavras, sorrisos e lágrimas trocamos. Quantos minutos, segundos deixamos escapar, sem darmos o devido interesse. A devida importância. Já se foram longos anos e no entanto parecem a mim, meses. Dias. Minutos, pois ainda posso me ver sentada naquele banco, a esperar-te. Ainda posso vê-lo, senti-lo, ouvir sua voz, como era àquela época. Porque hoje já mudou-se, transformou-se em som familiar. Posso ainda lembrar das pessoas ao nosso redor, indiferentes a nós. Posso ainda recordar-me do sol que brilhava, o vento tranqüilo a mexer as árvores de leve. Posso ainda hoje ouvir o som dos pássaros e dos carros a passar. Ainda vejo e lembro do brilho em seus olhos cor de mel. Porque ao ficar ali, sentada, um braço sobre a mesa, o outro sobre o colo, a ouvir-lhe atentamente, estava eu na verdade guardando tudo. Todos os sons e gestos e o seu olhar, porque já podia prever que me seria importante aquele momento, aquele minuto sagrado. E hoje, quando olho para trás, lembro quantos momentos como aquele eu perdi, deixei passar, sem dar-lhes a importância que mereciam. Quantas lágrimas e sorrisos, e quantos olhares seus que não guardei e hoje me fazem tanta falta. São minutos, segundos imperceptíveis para os demais, as vezes penso que até mesmo a você. Mas não a mim. Não podiam ser assim ignorados por mim. E eu os ignorei. Tantas vezes. Alguns deles, eu me lembrei de guardar. Um olhar de carinho, um olhar de volúpia, um olhar de respeito, um ou outro olhar de fúria. Alguns ainda me lembro com tanta nitidez, que posso vê-los agora, vivos. Ressurgidos de um passado querido. Porque mesmo as lembranças tristes me fazem bem. E tudo que é seu, me é bem vindo. Até mesmo as rudezas. E então posso deitar-me à noite e sentir você, seu olhar a aquecer-me, seu coração palpitando junto ao meu, como se realmente estivesse lá comigo. E está. E estas marcas, estes momentos que guardei, vez ou outra por estes anos, nunca se apagarão. E músicas infindas me transportam no tempo, a certos lugares, quartos, gramas, lençóis. E me inundam de amor e luz e já sou outra. Não mais sou aquela garota pouco tímida, sentada a esperar-te. Sou mulher a desejar-te, sou tua amante e confidente. Foram anos, longos ou não, transformaram-me. Transformaram-te. Já não somos como antes o fomos. Temos outros olhos, outras vozes. E talvez por isso eu me arrependa de ter deixado tantos momentos passarem sem gravá-los na memória. Os cheiros particulares, os gestos, os objetos, tudo enfim. Porque são-me todos sagrados.  Tudo isso tornou-se tão importante e sagrado, que não quero perde-los nunca mais. Não quero mais deixá-los passar sem gravá-los no coração e mente. Não posso viver sem tê-los. Entendes agora? Porque me faço as vezes tão odiosamente dependente. Porque vivo tanto ao teu redor, esgueirando-me em momentos que desejas estar só, infiltrando-me em assuntos que não deveriam me pertencer? Porque tudo que lhe diz respeito, me é divino. Porque preciso de tudo que lhe faz volta.

{ Lyani } 18/12/2004

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.

6 comentários sobre “Coleção de Memórias

  1. O Trovador disse:

    Nussa, faz pouca mais de um ano desde o ultimo comentário…

    rsrsrs

    E eu aqui, coveiro, venho desenterrar o texto.

    Achei… Surpreendente.
    É incrivel como as pessoas só dão valor ao que passou, né?
    E não na época propriamente dita.

    Juro, não me identifiquei com o texto mas desejei incessantemente que outra pessoa ao lê-lo se identificasse.

    A Anjo.

    Mas não vai. Nunca vai. Preciso parar de pensar nela.

    Por isso foi surpreendente. Eu aqui, achando que tinha superado. HA!

    Eu adoro mesmo mentir para mim mesmo.

  2. Lyani para DZ e Poetriz disse:

    Como vcs são maus… a Helena não estava falando do que escrevi, mas sim do livro que estou lendo agora…aquele ali ao lado na leitura atual!!! “A Sombra do Vento”!!!

    Tsc tsc tsc!!!

    Ah, e muito obrigada pelos elogios ao meu texto!!! Eu é que fiquei emocionada.

    Bjos

  3. Poetriz disse:

    Livro tenebroso? Desculpe, mas tb tenho que rir… hehehe

    Se bem que nossa vida podia ser um livro.

    Em especial a sobre-vida que temos ou tínhamos, aquela de outro nome, outra aparência, outros lugares, daquela realidade paralela…

    Acho que fiquei comovida…

    “Porque mesmo as lembranças tristes me fazem bem.”
    | Lyani |

  4. dZ disse:

    huauhauhauauhauhauhuha.

    Sorry, rio sozinho de comentários.

    Achei “lindo” (mesmo não sendo afeto de achar coisas “lindas”, afinal sou muito tradicional).

    O romantismo nada tem de “tenebroso” quado posto assim…

    E olha que ja se passaram 2 anos, ou só 2 anos.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s