Nossa Truculência

“Quando penso na alegria voraz com que comemos galinha ao molho pardo, dou-me conta de nossa truculência. Eu, que seria incapaz de matar uma galinha, tanto gosto delas vivas mexendo o pescoço feio e procurando minhocas. Deveríamos não comê-las e ao seu sangue? Nunca. Nós somos canibais, é preciso não esquecer. E respeitar a violência que temos. E, quem sabe, não comêssemos a galinha ao molho pardo, comeríamos gente com seu sangue. Minha falta de coragem de matar uma galinha e no entanto comê-la morta me confunde, espanta-me, mas aceito. A nossa vida é truculenta: nasce-se com sangue e com sangue corta-se a união que é o cordão umbilical. E quantos morrem com sangue. É preciso acreditar no sangue como parte de nossa vida. A truculência. É amor também.”

. Clarice Lispector in A Descoberta do Mundo .

Fico boquiaberta ao ler Clarice. Ela é um espanto. E é incrível como ela me entende. Como ela explica todos os meus sentimentos com as palavras certas… inclusive os mais simples, como este citado acima. Como é possível? Ela nem ao menos me conheceu… como pode? Outro dia mostrei um trecho a um amigo e ele disse: Ela me conhece? Sou eu. Sim, é isso que Clarice faz e é incrível, eu nunca me acostumo…

4 comentários sobre “Nossa Truculência

  1. dZ disse:

    Hehe, pensei duas coisas:

    – somos carnivoros mas talvez não devessemos (olha que até bem pouco tempo atraz eu era um anti vegetariano roxo, mas ainda sou dependente de proteina animal, vermelha de preferência, beeeeeem vermelha).

    – não nos damos conta do que somos, em termo alimentar e em sociedade. Avalizamos (essa palavra ta errada né?) atitudes que não tomariamos, ignoramos ou preferimos entender como uma notícia no jornal de uma cidade distante.

    Bom, truculência é esquisito, de qualquer forma, hehe.

    Mas eu gosto dos textos mas não me identifico tanto quanto vocês, só pra ser diferente 😛

  2. ♥ Lyani disse:

    Liloca,

    Obrigada pela visita e pelas palavras, é bom saber que mais pessoas no mundo se sentem da mesma forma em relação a Clarice!

    Volte sempre e se tiver um blog ou endereço na net, me passe para que possa visitá-la também! ^^

    Bjos

  3. liloca7 disse:

    Flor…
    Eu concordo contigo em GÊNERO, NÚMERO E GRAU!!!
    Queria eu ter convivido com a Clarice…
    Cada linha que leio, me impressiono cada vez mais, tanto que me confundo…
    Será que sou tão parecida com ela a ponto de me encaixar direitinho em seus textos?
    Ou ela é que gerou uma “nação” assim??
    Sei lá….sei que ela é demais!!!
    Me emociono cada vez que a leio…
    Beijão!

    Gostei daqui.
    Voltarei mais vezes…
    [;)]

  4. Ariadne disse:

    Meu, demais isso! A Clarisse parece conviver conosco! ahahaha

    Lyani, vou pegar algumas citações dessas no seu blog e postar no meu também! ahahaha

    Bessossssssssssssssssss

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s