Qualquer coisa!

Mal teve consicência da dor, atento apenas aos braços de Meggie à sua volta, ao modo com que sua cabeça se inclinava para ela. Mas conseguiu virar-se até poder ver-lhe os olhos, e olhou para ela. Tentou dizer, Perdoe-me, mas viu que ela o perdoara havia muito tempo. Ela sabia que acabara levando a melhor. Depois quis dizer algo tão perfeito que ela se sentisse consolada para sempre,  compreendeu que isso também não era necessário. Fosse ela o que fosse, era capaz de suportar qualquer coisa. Qualquer coisa!

. Collen McCullough in Pássaros Feridos .