De Heathcliff para Catherine…

…com amor…

Heathcliff & Catherine

♪ All I am begins with you
Thoughts of hope understood
Half of me breathes in you
Thoughts of love remain true

Here we are again saying goodbye
Still we fall asleep underneath the same sky
You’re all I knew you’d become

{…}Entwined, you and I
Our souls speak from across the miles
Intertwined, you and I
Our blood flows from the same inside
Half of me, breathes in you
Thoughts of love remain true

I see you, I feel you
When I close my eyes
I see walking there…
I see you dancing in my mind ♪

The Nixons Sister .

O Morro dos Ventos Uivantes é uma história de amor. Cruel e apaixonante. Suas páginas exalam um força terrível e um sensualismo explosivo, quase explícito. E mais: ódios arraigados, paixões além da morte, sadismo, exploração e abuso infantil, descrições brutais e sem contemplação para com os defeitos e traumas humanos, recheadas de cenas de tortura mental e violência física.

Não por acaso, a primeira reação à obra foi de rejeição: os ingleses não entenderam nem apreciaram aquela mistura de romantismo desbragado, realismo cru e trama complexa. Nem acreditaram que tivesse sido escrita por uma mulher que, para poder publicar, utilizou um pseudônimo masculino. Em 1827!

Aliás, até mesmo hoje não é tão fácil entender Emily Bronte e o furacão que carregava dentro do seu corpo miúdo e frágil. Criada em uma austera e rígida família protestante, sem quase nunca ter saído de sua casa na miserável cidadela de Haworth, Emily era a mais retraída de uma trinca de irmãs que fez história e marcou época. Anne, Emily e Charlotte Bronte, cada uma a sua maneira e com seu estilo próprio, escreveram e publicaram, com resultados variados.

Enquanto a obra de Emily era rejeitada, “Jane Eyre” de Charlotte, que num primeiro momento sequer foi aceita pelo mesmo editor que publicou Anne e Emily, emplacou e, de repente, tornou-se um enorme sucesso.

Emily Bronte morreu em 1928, com apenas trinta anos, sem sequer imaginar que chegaria a ser considerada melhor escritora que suas irmãs, nem que O Morro dos Ventos Uivantes seria consagrado como um dos romances mais importantes da literatura inglesa e mundial.

Heathcliff é uma dessas personagens marcantes que se agarra a nossa memória e se torna impossível de ser esquecida, assim como um Capitão Ahab, de Herman Melville em “Moby Dick”, ou um Robinson Crusoé de Daniel Defoe, a machadiana Capitu ou o atormentado Hamlet de Shakespeare.

Tormentos não faltam para Heathcliff. Foi levado para o solar dos Earnshaw aos sete anos, resgatado das ruas de Liverpool, quase morto de fome e fadiga. De imediato, se estabelece uma relação de amor-ódio entre ele e os irmãos Cathy e Hindley Earnshaw.

Os maus-tratos, o tratamento injusto e diferenciado, as diferenças de classe social e educação tornam praticamente inviável a coabitação entre seres tão díspares. Ao longo dos anos, à medida em que crescem, as tendências íntimas de cada um afloram, predominam e explodem: a indolência e brutalidade de Hindley, a forte mas indecisa personalidade de Cathy e a quase selvageria de Heathcliff, encerrada em uma caixa de mutismo e isolamento.

O clima mórbido e barroco da casa Earnshaw, localizada no morro eternamente cortado pela ventania, é o palco para as terríveis cenas da morte de Cathy e a consumação da morte-em-vida de Heathcliff, que passa a dirigir todo o seu amor-desespero-ódio para sua filha, também chamada de Cathy.

Mais tabus românticos esmigalhados por Emily Bronte: a heroína morre no meio da história! (isso é revelado desde as primeiras páginas, portanto não precisa se preocupar: não estou soltando nenhum segredo da trama). Nunca sabemos se o “herói”, Heathcliff, realmente é uma vítima digna de dó ou um algoz inconseqüente. E o final… bem, só se pode dizer que não é nada simples.

Os ingleses da época de depararam com aquilo e ficaram se perguntando, perplexos: onde estava o maniqueísmo simplista e moralizador? Como distinguir os “bons” e os “malvados”? Como classificar uma história que não é realista e não se pretende ser um retrato de costumes e, ao mesmo tempo, não se insere dentro do formato esquematizado do romantismo piegas?

Por Claudinei Vieira | Fonte: IG Educação

20 comentários sobre “De Heathcliff para Catherine…

  1. Giulia disse:

    Bom, livro muito gostoso de ler. Tô quase acabando. Tô acostumada muito com os livros da Jane Austen, já a leitura da Bronte é muito mais fácil de ler. Austen é mais requintada e requer um pouco mais de trabalho. Mas o que é legal nesse livro é a complexidade dos personagens… A ligação, o drama!
    E o que dizer de Heatchcliff? Simplesmente complexo (para não dizer difícil) haha. Mas na verdade é que nenhum personagem quer se ceder, se redimir. Acho que é isso que a Emily Bronte queria passar: mistério, drama e complexidade.

    • Lyani disse:

      Boa tarde Giula, tudo bem?
      Qual a edição que você está lendo do Morro dos Ventos Uivantes? Por que se for essa nova que lançaram depois da saga Crepúsculo que tem uma rosa branca na capa, aí eu posso entender por que está achando a leitura de Brönte menos requintada que a da Jane Austen.
      Aconselho você a ler o original com tradução de Rachel de Queiroz da Editora Record. Ela não deixa nada a desejar em requinte. Aliás, como sou uma super fã de Brönte acho os livros da Austen mais simples em relação à complexidade do romance de “O Morro dos Ventos Uivantes”! Mas aí é realmente uma questão de gosto e afinidade. Eu também leio Austen e também gosto dela, mas Brönte é minha favorita!
      Heatchcliff é de longe minha personagem favorita de todos os tempos! Não achei até hoje, no que já li, nada parecido. Sou completamente apaixonada por ele. Fico feliz que esteja gostando da leitura, mas realmente indico a a obra que te falei mais acima. Essa edição feita pós-crepúsculo foi editada de forma a ficar realmente mais simples e mais acessível ao público alvo da saga.
      Volte sempre ao “Entre Aspas”!
      Abraço,
      Lyani

  2. Elis disse:

    Que bom ter encontrado este blog!!Amei o filme, adoro o ator Ralph Fiennes, por causa do filme, fiquei muito interessada pelo livro e qual foi minha surpresa? Fiquei extasiada pela estória, alucinada, não paro de pensar em Heathcliff, Cathy, Hareton. O seu comentário foi o melhor, de longe, que já li, pois também enxerguei amor-ódio de Heathcliff para Cathy, porém, pensei ser impressão minha, mas tenho certeza que não. Tensão, os sentimentos à flor da pele entre os dois estão muito presente, pelo menos em relação a ele. Bom é isso, obrigada pelo post!

    • Lyani disse:

      Elis, bom dia!
      Fico sempre feliz com comentários como o seu 🙂
      Obrigada por encontrar meu blog e espero que volte sempre! Leia o livro. Se está tã apaixonada pela história como eu fiquei, leia sim o livro, você vai se surpreender! É, sem sombra de dúvidas, o meu favorito!
      Um beijo,
      Ly

  3. Carlos disse:

    Emily Bronte é para mim o maior mistério da literatura mundial e sem dúvida uma boa escolha para tema. Contudo, peço que revise o texto quanto às datas de publicação do livro e de morte de Emily pois estão equivocadas…

  4. Camilla disse:

    ahhhh eu li ….e olha q eu soh tenho 13 anos…. a primeira vez q eu li eu tinha 12…. heathicliff pra sempre vai ser o mocinho… eu acho..
    ele nao merecia ser tao rejeitado ….
    eh eu sempre fico no lado errado heathicliff , hareton…… nao tenho jeito mesmo!

  5. everton disse:

    kerida q lindo post o seu viu, e o tema tbem maravilhoso. eu tbem akabei d postar no meu blog algo sobre wuthering heights, a musica e os filmes tbem. se puder comenta la ok. bjus

  6. Catherine disse:

    Esse é, com certeza, um dos melhores livros já escritos. Digo isso mesmo não conhecendo a grande maioria dos livros. Ele mexe com as pessoas, com os sentimentos delas, e elas não sabem mais se torcem por Heathcliff ou se o odeiam. A questão é que, não importa quanto mau ele foi, ou as pessoas que viviam com eles dois, se Catherine não fosse tão egoísta, impulsiva, talvez eles tivessem dado certo. O amor dos dois era devastador… E acredito que combinaria bastante com a segunda geração do romantismo brasileiro… A morbidez, o amor além da vida… A própria paisagem sombria do morro está sempre em acordo com o humor de Heathcliff ! Isso só pode ser romantismo ! Sem o piegas, claro. Mas isso, os dois juntos no final, nunca saberemos, assim como se Capitu traiu Bentinho ou não rsrs Entretanto, esse é um grande clássico inglês que, certamente, não poderá ser esquecido. E a estória está perfeita exatamente como é.

  7. Raphaella C. disse:

    Primeiramente, amei o blog *O*, é como se eu pudesse reunir todas as obras que amo em um único espaço, por isso parabens e obrigada por criar algo incrivel assim.
    Li o wuthering heights, esse ano e tive as reações mais variadas que um ser humano pode ter.
    A principio, minha cabecinha de 15 anos me fez odiar a história!
    Como a personagem principal podia ser tão egoísta e materialista? ou o Heathcliff, tão frio e brutal?
    Onde estavam aqueles finais felizes e piegas, dos qual eu tanto gostava?
    Mas então… Depois de reflexões eu descobri que é isso que faz da história de Bronte, um dos melhores clássicos ingleses!
    Ela relata os piores defeitos das pessoas (como Shakespeare), enquanto a maioria dos outros autores fazem questão de esconder! Todos os dias, vemos personagens lindos e maravilhosos cheios de qualidades e clichês, tão limitados na sua propria perfeição que mal achamos que são humanos.
    Nessa releitura também me afeiçoei a Heathcliff xD, eu não sei muito o porque, mas eu não consigo ver só o lado ruim dele. Ele sofreu pra chegar à esse ponto, e sejamos sinceros por mais que o perdão e o amor sejam importantes, quem nunca se quer por um momento não quis se vingar de alguem que no passado fez algo ruim a você?
    e foi assim , analisando caracteristica por caracteristica que esse se tornou um dos meus livros prediletos *.*
    não gosto muito das adaptações cinematograficas G_G, mas vou ver os filmes, soube que o primeiro é bom xD

    • ♥ Lyani disse:

      Raphaela,
      Desculpe a demora em responder.
      Muito obrigada pelo comentário é sempre muito bom conversar sobre os livros que gostamos, trocar impressões!
      Adoro “O Morro dos Ventos Uivantes” e meu personagem favorito é Heathcliff, não tive raiva dele em momento algum, me apaixonei por ele também 🙂
      Abraços,
      Ly

  8. Mariana disse:

    Esse livro consome a minha mente do inicio ao fim, ja li umas tres vezes e nao me canso de ler…sem contar o filme que também me deixa extasiada…já a musica da sua referencia nao estou reconhecendo, mas tem uma da Kate Bush chama Wuthering Heights, que é maravilhosa…o vocal da Kate é tudo de bom….Abraços!

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s