Impulsividade

Sou o que se chama de pessoa impulsiva. Como descrever? Acho que assim: vem-me uma idéia ou um sentimento e eu, em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente. O resultado tem sido meio a meio: às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham, às vezes erro completamente, o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade. Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. […] Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei.”

. Clarice Lispector in Aprendendo a Viver .

4 comentários sobre “Impulsividade

  1. botecoliterário disse:

    Eu já pensei e acho que ser adulta é extremamente infantil rs O bom é ser criança, que é ser muitp mais adulto. Eis que escolhi o lado bom de ser e viver. “Há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração, toda vez que o adulto balança ele vem para me dar a mão”

    bjoss

  2. poetriz disse:

    Acho que nem eu serei madura o suficiente pra algum dia controlar meus impulsos… acho que a graça está em justamente as vezes meter os pés pelas mãos, e gargalhar de algumas loucuras ou chorar de alguns tombos…

    Bjs!

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s