Um monstro

O pecado, compreendia agora, estava dentro dele, deitava raízes, alastrava-se pelos dutos da alma. Precisava detê-lo, cavar um fosso na mata incendiada, ou deixar-se abrasar até a destruição total. Sou um monstro, pensou. Um pesadelo estúpido revelava a sua face oculta, a podridão escondida nas profundezas do espírito, e jogava por terra todas as ilusões que mantinha a respeito de si próprio.
Nem justo, nem puro, nem bom.
Um monstro”

. Charles Kiefer in Valsa para Bruno Stein .

Sábio Equilíbrio

Os visitantes costumam perguntar se li todos os meus livros; minha resposta costumeira é que com certeza abri cada um deles. O fato é que uma biblioteca, seja qual for seu tamanho, não precisa ser lida por inteiro para ser útil; todo leitor tira proveito de um sábio equlíbrio entre conhecimento e ignorância, lembrança e esquecimento”

. Alberto Manguel .