Amizade

Um dia eu perdi a crença na amizade. Sim, passei anos da minha vida sem confiar em ninguém, a não ser em mim mesma. Mas logo eu percebi que isso era uma grande besteira. Porque as pessoas não são iguais. E não têm que ser aquilo que queremos que sejam. As pessoas são o que são. E se eu me magoo com isso, a responsabilidade é toda minha. Eu aprendi isso. Depois de sofrer bastante, mas eu aprendi. Não posso querer que ninguém mude. As pessoas é que têm que querer mudar. As pessoas é que têm que sentir a necessidade de mudar e mudar, caso sintam isso, caso QUEIRAM isso. Não eu. Tem uma lei na qual eu acredito, que é a Lei da Afinidade. Agente se une àqueles que nos são afins. Por isso têm certas pessoas com as quais temos um relacionamento tão simples e bom! Tão fácil. Com brigas também, mas com brigas fáceis de resolver. Com diferenças, também. Porque amizade é identificação e diferença, como dizia H. Hesse. Mas tem certas pessoas com as quais simplesmente a relação não flui. Talvez porque as diferenças sejam grandes demais. Grandes diferenças que fazem toda a diferença. Têm uma coisa chamada princípio que é difícil demais de passar por cima por causa de uma amizade, ou porque se quer estar ao lado de alguém. Têm outra coisa chamada opnião. Que apesar de ser mais fácil mudar, também é difícil. Há certas coisas que se pode aceitar, outras coisas simplesmente não. E é aí que a amizade vai se desgastando, se perdendo, até chegar a um ponto onde não há mais nenhuma sustentação. Não é culpa de ninguém. É a vida. E a vida, as vezes, é um soco no estômago, não é Clarice? Fazer o quê? Tem certas coisas que não se pode mudar. A natureza das pessoas é uma delas. E duas naturezas completamente diferentes jamais seriam felizes juntas. Somente no mundo da fantasia, onde tudo é lindo. Um mundo que criei uma certa vez. E que desmoronou, como um castelo de areia ao vento. Meu mundo não foi forte o suficiente para se sustentar. Não é culpa minha. E nem do vento. A areia é areia, tinha que se desfazer. O vento é o vento, tinha que soprar…  Embora não deixe de ser triste e ainda doa em dias de chuva como diria Caio F. Mas é passado e o importante é que hoje tenho raras ─ e poucas, mas verdadeiras ─ amizades que fazem o dia a dia mais doce e a vida mais agradável.

{ Lyani } 16/02/2006
Atualizado em 30/07/2008

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.

14 comentários sobre “Amizade

  1. ♥ Lyani disse:

    Manuel,
    O fato de convivermos apenas com quem temos afinidade, não quer dizer que desejamos o mal das outras pessoas. Amar ao próximo, não quer dizer conviver com todos, ou ter com todos o mesmo amor que se tem por aqueles que nos fazem bem, como familia e amigos que nos são afins. Amar ao próximo significa não odiar, não desejar o mal e ajudar sempre que possível. Isso eu concorco plenamente… Obrigada pelo comentário, e visita ao meu blog, é sempre muito bom ter diversas opniões.
    Bjos,
    Lyani

  2. O Trovador disse:

    Faço minhas as palavras da Poetriz!

    ^^

    As poucas mas mais belas amizades que tenho me bastam… As vezes eu me frustro por pensar uma coisa e ser outra. Mas é só as vezes. E não abramos mão de toda a felicidade por momentos de triste \o/

    bjs

  3. poetriz disse:

    Algo me diz que sei o contexto de quando escreveu esse texto…

    Mas se tem amizades que são areia, e levadas pelo vento.

    Outras são rochas, essas são mais difíceis de sumirem…

    Bjs!

  4. samacc disse:

    Que linduuu! Concordo plenamente… é engraçado como essa “Lei da afinidade” pode unir e tb separar pessoas. Mas como vc diz, é a vida!
    Estou bem sim! Nada como um dia após outro, né!
    bjim,

  5. Rejane disse:

    Olá Lyani,

    Primeiramente quero agradecer sua visita na Incubadora Literária. Em nome do grupo, registro aqui a nossa satisfação.
    Segundo, eu amei o seu blog pela qualidade e apuro expressos nesse espaço. Iremos linkar o Entre Aspas lá na IL, ok?
    Quanto ao post Amizade nos permite refletir sobre esse sentimento tão cheio de nuances. Não é fácil defini-la.
    Aliás, lá na IL (Incubadora Literária) um dos desafios foi escrever sobre a amizade.
    Se quiser ver, o link é esse:
    http://incubadoraliteraria.blogspot.com/search/label/Tema%20V%20-%20Amizade
    Ficaríamos felizes em tê-la em nosso grupo de escritoras, se assim o desejar.
    Caso tenha interesse, envie um e-mail para: incubadoraliteraria@yahoo.com.br.
    Prometemos explicar com mais detalhes o funcionamento do grupo.
    Abraços, Rê Lima

  6. Tatiana disse:

    Olá querida (vi que escreveu um comentario em meu blog), portanto vim aqui…

    Olha esse seu texto mexeu comigo, sim! Mexeu pq estou passando por um perido ao qual estou desconfiando até de mim mesma… foi uma facada bastante dolorida… mas assim, como nossos erros e erros alheios, melhoramos! Vencemos, ou passamos… assim como uma brisa. O tempo diz muita coisa.

    Beijos

  7. perdidinha... disse:

    “Um dia eu perdi a crença na amizade. Sim, passei anos da minha vida sem confiar em ninguém, a não ser em mim mesma. ”

    estou nessa fase… mas quero muito evoluir para o desenrolar do seu texto. que aliás… é ótimo!

    obrigada pela visita te espero mais vezs e virei tb…
    amiga de flavinha tem que ser especial!rs…
    beijocasssssssssssssssssssss.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s