Perca um livro!!

Como disse o próprio autor do post que me fez descobrir essa idéia maravilhosa, antes tarde do que nunca! Se ele já estava atrasado na notícia, eu estou ainda mais! Quase um ano ou mais depois, descobri o bookcrossing, um conceito que surgiu nos EUA há alguns anos com o intuito de incentivar a leitura.

Parece meio maluco, mas é feito da seguinte forma: alguém que já leu um livro e que provavelmente o deixaria mofando numa estante qualquer, deixa-o com um bilhete em lugar público (café, banco de praça, escola, etc) desejando uma boa leitura e pedindo que depois faça a mesma coisa. 

Simplesmente, ADOREI a idéia!

Aqui no Brasil, a Editora Zeis usou esse conceito para divulgar o livro “A Unidade dos Seis” de Cristina Castellar, deixando 150 exemplares perdidos por São Paulo com uma etiqueta que convida o leitor a continuar a brincadeira perdendo algum outro livro em lugar público. Um site e uma comunidade no orkut foram criadas como parte da ação.

Vale dar uma olhadinha e quem sabe participar da brincadeira =D

Também são as que dão mais prazer

A leitura depara-se com uma série de obstáculos, é muito mais fácil sentarmo-nos no sofá a ver televisão do que a ler um jornal até. E a questão parece ser esta sociedade de facilistismo em que deixou de se perceber que as coisas que dão algum trabalho também são as que dão mais prazer, porque são conquistadas. A leitura dá algum trabalho e temos de conquistar um espaço para ela na nossa vida, temos de nos empenhar para absorvê-la completamente, para que faça sentido. Isso é que se perdeu um pouco de vista, mas penso que quem procura acabará por encontrar e tenho esperança de que as pessoas não deixem de procurar, não desistam, porque baixar os braços é ficar sempre no mesmo sítio”

. José Luís Peixoto .