Severinos

E se somos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte,
de fome um pouco por dia”

João Cabral de Melo Neto in Morte e vida Severina .

7 comentários sobre “Severinos

  1. Edu disse:

    Cara

    Ao descrever o sofrimento da pobreza rural, JC de Melo Neto parece que conseguiu ser honesto sem ser piegas.
    Sua poesia diz sobre o absurdo da vida tratada como nada. Da vida, tão preciosa e única, moída em um engenho qualquer.
    O nordeste rural mudou (longe de ser o suficiente, mas melhorou “um cadinho”). A pobreza tb mudou. Mas, o absurdo da vida queimada na caldeira do cotidiano. Esta continua.
    Pena que não tenhamos mais Cabral para nos mostrar isto.
    1 ab
    Edu

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s