Duas Vidas

Peguei emprestado daqui

{…}Temos todos duas vidas: 
A verdadeira, que é a que sonhamos na infância, 
E que continuamos sonhando, adultos, num substrato de névoa; 
A falsa, que é a que vivemos em convivência com outros, 
Que é a prática, a útil, 
Aquela em que acabam por nos meter num caixão. 
 

Na outra não há caixões, nem mortes, 
Há só ilustrações de infância: 
Grandes livros coloridos, para ver mas não ler; 
Grandes páginas de cores para recordar mais tarde. 
Na outra somos nós, 
Na outra vivemos; 
Nesta morremos, que é o que viver quer dizer; 
Neste momento, pela náusea, vivo na outra… ”

Álvaro de Campos in Dactilografia .

6 comentários sobre “Duas Vidas

  1. Pavón (Ruberto) disse:

    Nao podemos viver o tempo todo na outra,pq muitas vezes a realidade nos chama… mas os momentos em que nos permitimos viver nossas fantasias, o mundo demora para passar, a cena se prolonga e a vida desperta sorrisos inimagináveis…

    Beijos

  2. Sandra Leite disse:

    Essa semana, coincidentemente, li essa poesia. Li e reli algumas vezes por causa desse verso

    “A falsa, que é a que vivemos em convivência com outros,
    Que é a prática, a útil,
    Aquela em que acabam por nos meter num caixão”

    Achei assustador de tão real. Coisas da genialidade dele, meu poeta-amante.

    bjos

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s