O Sonho

Era só um sonho. Não. Era O sonho. E fomos lá de novo. Mais uma vez, olhamos tudo em seus mínimos detalhes. Sorrimos, e entrelaçamos nossas mãos suspirando e pensando no futuro. Mas o futuro é sempre uma miragem e muda conforme nós mudamos. O sorriso se apagou, os dedos quase não se tocavam e o suspiro virou lágrimas. Mas a realidade dura se modifica e os sonhos se transformam, se moldam a nova realidade, se tornam outros sonhos. O sonho, de novo. E outros sorrisos emolduram o rosto, outra vez as mãos se entrelaçam, e enchugam-se as lágrimas. É estranho como se acostuma à dor e se aprende a reerguer, reinventar. Pra sorrir de novo, sonhar de novo, suspirar como da primeira vez. E a esperança acompanha cada passo. Principalmente no começo de cada ano. É assim que a vida continua seu caminho. E, mais uma vez é só um sonho. Não. É O sonho.

{ Lyani }

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.

12 comentários sobre “O Sonho

  1. léia disse:

    Eu não estou em condições de escrever algo sobre isso… Tenho perdido tanto em matéria de amor… Esses últimos dias foram tão tristes para mim… Amar e não ser correspondido doi muito…

  2. Maria disse:

    Lindas palavras.

    “os sonhos se transformam, se moldam a nova realidade, se tornam outros sonhos”.

    Isso o tempo todo, pois só assim eles se tornam possíveis, realizáveis.

    Beijos doces

  3. Ruberto Palazo disse:

    Nenhum sonho é simplesmente um sonho, é sempre O sonho… ele volta? Nao creio, mas como vc mesma disse ele se remodela, se transforma, se adapta… mas tem o estranho habito de gerar sentimentos em nós que parecem insistentemente se repetir.

    Beijos

  4. zandali disse:

    olá…

    sou da turam dos 50 livros em 2009 e passei pra te conhecer! adorei teu blog…

    e o trecho da Insustentável leveza do ser que eu mais amo é quando Kundera fala do nascimento do Thomaz como personagem… não me lembroa página, mas é quando ele olha da janela a Tereza cruzando o pátio… a cena não sai da minha cabeça! e olha, faz 16 anos que li esse livro!

    beijos e bom final de semana!

  5. Fernanda disse:

    “É estranho como se acostuma à dor e se aprende a reerguer, reinventar”.

    Concordo, plenamente!!
    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Ly,
    como faço pra colocar em meu blog essa licença de ‘direitos autorais’?

  6. Sandra disse:

    Ah Ly,

    Lembrei que perdas são necessárias, inclusive nos sonhos. Há um luto em alguns e é imperativo enterrá-los.
    A-vida-como-ela é:) Alguns serão em 3D, mas às vezes é um simples P&B. E isso não é conformismo, é vida.]

    bjos

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s