Um momento de desânimo

Em algum ponto deve estar havendo um erro: é que ao escrever, por mais que me expresse, tenho a sensação de nunca na verdade ter-me expressado.  A tal ponto isso me desola que me parece, agora, ter passado a me concentrar mais em querer me expressar do que na expressão ela mesma. Sei que é uma mania muito passageira. Mas, de qualquer forma, tentarei o seguinte: uma espécie de silêncio. Mesmo continuando a escrever, usarei o silêncio. E, se houver o que se chama de expressão, que se exale do que sou. Não vai mais ser: “Eu me exprimo, logo sou” Será: “Eu sou, logo sou.”

Clarice Lispector in A Descoberta do Mundo

4 comentários sobre “Um momento de desânimo

  1. Daniel disse:

    Bruna, adorei seu site, tem coisas interessantissimas. A diversificação de autores de diferentes temas poéticos é impressionante e maravilhoso. Parabéns, pelo seu trabalho de divulgação da poesia e de como está bem feito seu site.
    Um beijo e continue assim.

  2. léia disse:

    Ah, como Clarice me entende! Como ela pode ser tão atual, tão hermética? Como? Não sei, mas sinto que ela e muitos de nós sentimos por vezes o peso da palavra não dita…
    Beijos em teu core.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s