Feliz Natal e Feliz Ano Novo

Feliz Natal e Feliz Ano novo a todos!!!!

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar
e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade
de acreditar que daqui pra frente…
tudo vai ser diferente!”

. Carlos Drummond de Andrade .

Sobre Ler

Ler rapidamente aquilo que o autor levou anos para pensar é um desrespeito. É certo que os pensamentos, por vezes, surgem rapidamente, como num relâmpago. Mas a gravidez é sempre longa. Há frases que resumem uma vida. Por isso é preciso ler vagarosamente, prestando atenção nas idéias que se escondem nos silêncios que há entre as palavras. Eu gostaria que me lessem assim. Quer eu escreva como um poeta, no esforço para mostrar a beleza, ou como palhaço, no esforço para mostrar o ridículo, é sempre a minha carne que se encontra nas minhas palavras.

Rubem Alves in Ostra Feliz Não Faz Pérola

Melhor e pior maneira…

Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar”

. José Saramago in O Conto da Ilha Desconhecida .

10.12 – 89º Aniversário de Clarice

Por te falar eu te assustarei e te perderei? Mas se eu não falar eu me perderei, e por me perder eu te perderia”

Clarice Lispector .

08.12 – 115º Aniversário de Florbela Espanca

Aqueles que me têm muito amor
Não sabem o que sinto e o que sou …
Não sabem que passou, um dia, a Dor
À minha porta e, nesse dia, entrou”

. Florbela Espanca in Livro de Mágoas .

Instintos Femininos

XXXV Desafio Incubadora Literaria
Tema: Boneco(a)
Período para votação: 05/12 a 08/12

Que mulher não teve seus primeiros instintos femininos desencadeados por uma boneca, de pano ou plástico, com olhos vidrados e um mundo de fantasia ao seu redor? Que menina não se fez mãe, tia, professora de um desses exemplares encantados? Que fossem brancas de olhos azuis e cachos dourados. Que fossem morenas de olhos castanhos quase negros. Que fossem grandes, médias ou pequenas. Que seus vestidos fossem rosa, amarelo ou lilás. Aquele sorriso estático cativante hipnotiza desde sempre qualquer olhar infantil feminino. Algumas com os dedos abertos, esticados, paralisados num pedido infinito de colo e carinho. Outras com as mãozinhas gordinhas fechadas e aqueles furinhos graciosos. No passado, algumas eram capazes de fechar os olhos quando deitadas, outras podiam mexer os braços e pernas e até engatinhar um pouco. As de hoje em dia quase falam. Parecem que se foram anos desde a primeira vez em que vi uma destas numa vitrine e não pude parar de sonhar em tê-la. Quando finalmente a tive em meus braços cuidava dela com tanto carinho que parecia real. Tinha roupinhas e sapatinhos de bebê de verdade e até um berço. Chamava-se Emily e foi minha companheira até que eu completasse 15 anos e ela fosse esquecida no guarda-roupa. É estranho pensar no quanto esses seres inanimados nos influenciam, no quanto eles parecem se comunicar conosco mesmo através do rosto impassível, paralisado e eterno. Sinto saudades da minha Emily. Da inocência de inventar um mundo que hoje é real e bem mais complicado.

{ Lyani } 04/12/2009

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.