Confraria dos 50

Achei que não fosse conseguir chegar a esse número. Afinal, minha média de leitura anual estava sendo 12, ou seja, mísero um livro ao mês. Vou usar a desculpa da falta de tempo, mas era também um pouco de falta de ânimo. Trabalhava longe de casa, uma viagem por dia. Sem contar as horas de trabalho malucas que incluíam feriados, finais de semana, noites e madrugadas. As horas livres eram usadas pra dormir ou vegetar na frente do computador pra tentar esquecer um pouco a loucura. Às vezes eu vegetava na frente da TV também. Lia também, mas muito pouco e por isso achei que jamais chegaria a marca dos vinte, quanto mais dos cinqüenta. Mas eis que a vida foi por outros caminhos. Mudei de emprego, de ares, fiquei mais próxima de casa, trabalhando em horário de gente normal e aí o vício da leitura me acometeu novamente, agora com tempo suficiente para dedicar a ele. Cheguei aos vinte, aos trinta e finalmente aos cinqüenta. Passei dos cinqüenta com quatro livros de folga. Nem acreditei. Foram leituras muito gostosas. Do lazer à cultura. Do drama ao romance e à comedia. Li autores que não conhecia como John Boyne e seu maravilhoso “O menino do pijama listrado”, Sophie Kinsela e sua coleção hilariante sobre Becky Bloom. Viajei no tempo para a Grã-Bretanha de Rei Arthur e as mulheres magníficas de sua vida em “As Brumas de Avalon” de Marion Zimmer Bradley. Viajei para o espaço com Douglas Adams e seus fantásticos personagens na coleção “O guia do mochileiro das Galáxias”. Fui apresentada a Jane Austen através de “Persuasão”, a Stieg Larsson através de “Os Homens que não amavam as mulheres”, a Sara Gruen através do emocionante “Água para elefantes“. Mas também li autores já meus conhecidos, como Clarice Lispector (sempre!), Caio Fernando Abreu, Baudelaire, Borges. Fiquei amedrontada com “1984” de George Orwell e sua tão terrível sala 101. Ri com Mario Prata e suas “100 melhores Crônicas“. Chorei com John Le Carrè e o Jardineiro mais fiel do mundo inteiro. Enfim,  vivi muito nestas maravilhosas páginas da vida. Agradeço muito a  Paula Silva e Nelida Capela por terem lançado esse desafio e agora quero um novo!!! 🙂

9 comentários sobre “Confraria dos 50

  1. Nelida disse:

    Lyani, queridíssima, fiz um post com seu depoimento e link para os leitores conhecerem as suas leituras!Obrigada pela participação e parabéns pelas 54 leituras e pela mudança positiva na sua vida!Desejo um maravilhoso 2010!

  2. Dalva disse:

    Oi, Luna!

    Quanta dica preciosa aqui! Alguns já estão anotados. Adoraria conseguir ler um pouco mais… esse ano me programei para ler pelo menos 12 livros (esse mísero um por mes… rsrsr)….

    Uma noite de paz!

    Bjs.

  3. dZ disse:

    adoro comentários onomatopeicos ilustrativo lacônicos, hehehehe

    parabéns pela guinada na vida, pela leitura e por tudo, em fim, bom 2010 🙂

  4. Dauri Batisti disse:

    Então Lyane, eis que você conseguiu. Mais de 50 livros. Que bom! Mas, especialmente, Que Bom que a sua vida se reorganizou com mais tempo e um trabalho mais “normal”.

    Um beijão, e que 2010 seja lindo, cheio de belos livros e tudo mais que é bom para uma pessoa.

    Seu post me fez relembrar uma citação que inclui na minha última postagem: “Deveríamos, todos os dias, ouvir uma pequena canção, ler um bom poema, ver uma boa pintura e, se possível, dizer umas poucas, mas razoáveis palavras”. Goethe

    Tchau!

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s