Caleidoscópio

Deve ter sido num momento de vagabundagem que a idéia do caleidoscópio apareceu na cabeça de Sir David Brewster. Como era homem culto e conhecia o grego antigo, uniu as palavras gregas kalos (=belo), eidos (=imagem) e scopéo (=vejo). Caleidoscópio quer dizer “vejo belas imagens”. As belas imagens do caleidoscópio se fazem com caquinhos de vidro, clipes, tachinhas, pedrinhas. O mesmo acontece com os artistas. Eles têm a capacidade de produzir o belo com o insignificante. Esse livro está cheio de caquinhos que podem, eventualmente, produzir belas imagens.

Rubem Alves in Ostra Feliz Não Faz Pérola

Cidade Louca

…e não foi assim o amor, senão uma cidade louca
onde as pessoas empalidecem nas sacadas”.

. Pablo Neruda in Cem Sonetos de Amor .

Resultado

E via em mim, coberto de desgraças,
O resultado de bilhões de raças
Que há muito desapareceram!

. Augusto dos Anjos in Eu e Outras Poesias .

O Prazer da Leitura

Minha labuta era leve, pois eu despertava às seis da manhã satisfeito de trabalhar até às seis da tarde se, depois disso, tivesse um livro pra ler”.

. Andrew Carnegie* .

*Discurso em Grangemouth, Escocia, Setembro de 1887

Um dos maiores interesses de Andrew Carnegie em vida foi a construção de bibliotecas públicas gratuitas, fundadas com o intuito de fornecer a toda a gente os meios para a auto-educação. A ideia surgiu em 1881, nessa altura eram ainda poucas as bibliotecas existentes em todo o mundo.  Gastou mais de 56 milhões de dólares na construção de 2.509 bibliotecas, espalhadas pelos países de expressão inglesa.

Saiba mais sobre Carnegie aqui

Nada é inteiro

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro”

. Fernando Pessoa in Mensagem .

Biblioteca por Manguel

Toda biblioteca é, necessariamente, uma criação incompleta, uma obra em curso ─ toda estante vazia é um anúncio de livros por vir”

. Alberto Manguel in A Biblioteca à Noite .

Uma música que seja

… como os mais belos harmônicos da natureza. Uma música que seja como o som do vento na cordoalha dos navios, aumentando gradativamente de tom até atingir aquele em que se cria uma reta ascendente para o infinito. Uma música que comece sem começo e termine sem fim. Uma música que seja como o som do vento numa enorme harpa plantada no deserto. Uma música que seja como a nota lancinante deixada no ar por um pássaro que morre. Uma música que seja como o som dos altos ramos das grandes árvores vergastadas pelos temporais. Uma música que seja como o ponto de reunião de muitas vozes em busca de uma harmonia nova. Uma música que seja como o vôo de uma gaivota numa aurora de novos sons…

Vinícius de Moraes in Para Viver um Grande Amor