Eu também não poderia…

_Mas como fazem essas crianças sem livros de histórias? – perguntou Naftali.
E Red Zebulun respondeu:
_Elas têm que se conformar. Livros de histórias não são como pão. Pode-se viver sem eles.
_Eu não poderia viver sem eles. – Disse Naftali.

Isaac B. Singer in Naftali, o contador de Histórias e seu cavalo Sus

Situações

Há situações na vida em que já tanto nos dá perder por dez como perder por cem, o que queremos é conhecer rapidamente a última soma do desastre, para depois, se tal for possível não voltarmos a pensar mais no assunto“.

. José Saramago .

Consola, talvez…

─ É bom pensar, sonhar consola.
─ Consola, talvez; mas faz-nos também diferentes dos outros, cava abismos entre os homens…”.

. Lima Barreto in Triste Fim de Policarpo Quaresma .

Lista de Livros: Desafio Literário 2011

Este é o desafio. E aqui estão minhas metas de leitura para o Desafio Literário 2011:

Janeiro – Literatura Infanto-Juvenil

1 – Como falar Dragonês, de Cressida Cowell (ok)
2 – Sangue de Tinta, de Cornelia Funke (ok)
3 – Morte de Tinta, de Cornelia Funke (ok)
4 – Ei, tem alguém aí?, de Jostein Gaarder (ok)
5 – O Castelo do Príncipe Sapo, de Jostein Gaarder (ok)
6 – Como Quebrar a Maldição de um Dragão, de Cressida Cowell (ok)

Fevereiro – Biografia e/ou Memórias

1 – Clarice, de Benjamin Moser (ok)
2 – Oswald de Andrade – Carla Caruso (ok)
3 – As Montanhas de Buda, de Javier Moro (ok)
4 – As vidas de Chico Xavier, de Marcel Souto Maior (ok)
5 – Quarto de Despejo – Carolina Maria de Jesus (ok)

Março – Romance épico

1 –  The Boleyn Inheritance, de Philippa Gregory (ok)
2 – O Bobo da Rainha, de Philippa Gregory (ok)
3 – O amante da Virgem, de Philippa Gregory (ok)
4 – A Sexta Mulher, de Suzannah Dunh (ok)
5 – O Hobbit, de  J. R. R. Tolkien (ok)
6 – The Other Queen, de Philippa Gregory (ok)

Abril – Ficção científica

1 – I, Robot , de Isaac Asimov (ok)
2 – Admirável mundo novo, de Aldous Huxley (ok)
3 – A Harmonia do Mundo, de Marcelo Gleiser (ok)
4 – Viagem ao Centro da Terra, de Jules Verne (ok)
5 – A Volta ao Mundo em 80 dias, de Jules Verne (ok)
6 – Feios, de Scott Westerfeld (ok)

Maio – Livro-reportagem

1 – 1808, de Laurentino Gomes (ok)
2 – O Ultimo Trem de Hiroshima, de Charles Pellegrino (ok)
3 – 1822, de Laurentino Gomes (ok)
4 – Operação Valquíria, de Tobias Kniebe (ok)

Junho – Peças teatrais

1 – Hamlet, Rei Lear e Macbeth, de Shakespeare (ok)
2 – Que farei deste livro?, de José Saramago (ok)
3 – Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna (ok)
4 – A farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente (ok)

Julho – Novos autores

1 – Fazendo meu Filme 1, de Paula Pimenta (ok)
2 – Fazendo meu Filme 2, de Paula Pimenta (ok)
3 – Fazendo meu Filme 3, de Paula Pimenta (ok)
4 – A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr (ok)
5 – Apátrida – Ana Paula Bergamasco (ok)

Agosto – Clássico da literatura brasileira

1 – O Quinze, de Raquel de Queiroz (ok)
2 – Dom Casmurro, de Machado de Assis (ok)
3 – Os sertões, de Euclides da Cunha (não li)
4 – Olhai  os Lírios do Campo, de Erico Verissimo (ok)
5 – Capitães de Areia, de Jorge Amado (não li)

Setembro – Autores regionais

São Paulo
1 – Não verás país nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão (ok)
2 – Homem Cobra, Mulher Polvo, de Içami Tiba (ok)
3 – Pega ele, silêncio, de Ignácio de Loyola Brandão (não li)

Outubro – Nobel de literatura

1 – Do Amor e Outros Demônios, de Grabriel García Marquez (ok)
2 – Memorial do Convento, de José Saramago (ok)
3 – O Ano de 1983, de José Saramago (ok)
4 – As Pequenas Memórias, de José Saramago (ok)

Novembro – Contos

1 – Cadeiras Proibidas, de Ignácio de Loyola Brandão (ok)
2 – Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector (ok)
3 – Onde Estivestes de Noite, de Clarice Lispector (ok)
4 – A Legião Estrangeira, de Clarice Lispector (ok)
5 – Coisas Frágeis 2, de Neil Gaiman (não li)
6 – Contos de Amor, de Loucura e de Morte, de Horacio Quiroga (ok)

Dezembro – Lançamentos do ano
1 – Os Pinguins do Sr. Popper, de Florence e Richard Atwater (ok)
2 – Quarto, de Emma Donoghue (ok)
3 – Marina, de Carlos Ruiz Zafón (ok)

Livros digitais estão mudando paradigmas do mercado de literatura

PORTO ALEGRE – O avanço do suporte digital, impulsionado pela febre dos e-books e dos tablets, como o fenômeno e já icônico iPad, da Apple, trouxeram um debate para o mundo da literatura: a vida online vai esmagar a existência dos livros? Para um painel de palestrantes da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, nesta segunda-feira, a discussão precisa ir além disso. Para eles a situação é simples: o mercado de livros, como nós conhecemos, está derretendo.

Continuar lendo “Livros digitais estão mudando paradigmas do mercado de literatura”

07.11 – 109º Aniversário de Cecília Meireles

Pergunto-te onde se acha a minha vida.
Em que dia fui eu. Que hora existiu formada
de uma verdade minha bem possuída

Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada.

E a quem é que pergunto? Em quem penso, iludida
por esperanças hereditárias? E de cada
pergunta minha vai nascendo a sombra imensa
que envolve a posição dos olhos de quem pensa.

Já não sei mais a diferença
de ti, de mim, da coisa perguntada,
do silêncio da coisa irrespondida”.

. Cecilia Meireles .