Inventário do Ir-remediável – Trecho II

Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu”.

. Caio Fernando Abreu .

6 comentários sobre “Inventário do Ir-remediável – Trecho II

  1. Andreia Dequinha disse:

    Ahhhh, adorei o nome do seu blog, a justificativa feita pela minha amada Clarice, o trecho cuidadosamente posto em seu post de hoje… Adoro Caio Fernando Abreu! Adorei todas essas combinações! Voltarei mais vezes… e estou, depois de um longo e tenebroso hiato, voltando a blogar tb. Desanimada, enferrujada, mas tentando voltar. Beijos e muito prazer.

  2. Samuel disse:

    Me lembrou 3×4 do engenheiros, parecido, mas diferente.

    “O que você me pede eu não posso fazer
    Assim você me perde e eu perco você…

    O que você não pode, eu não vou te pedir
    O que você não quer, eu não quero insistir”

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s