Como eu sou

Nunca antes uma coisa, nem ninguém me doeu tanto como eu mesmo me dôo agora, mas ao menos nesse agora eu quero ser como eu sou e como nunca fui e nunca seria se continuasse”.

. Caio Fernando Abreu in O Inventário do Ir-remediável .

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s