Não tem conserto.

A ironia disso tudo, a ironia de pensar que havia sido salva por Nick, era como um golpe violento intensificado por um arrependimento profundo. O arrependimento de cada coisa de nossa vida juntos. Nosso primeiro encontro, o dia de nosso casamento, nossa mudança para Boston, nossa casa e tudo dentro dela, até a lata mais empoierada de sopa de lentilha no fundo de nosso armário.
(…)
─ Sinto Muito – ele disse parecendo desolado, sem forças e perdido. ─ Farei qualquer coisa para consertar esse erro.
─ Não há nada que possa fazer. Isso não tem conserto.
─ Tessa, não há mais nada entre mim e ela…
Não há mais nada entre nós, Nick. Não há mais nós… Agora saia daqui.

Emily Giffin in Questões do Coração