Precisa ser

─ Está se sentindo melhor? ─ perguntou.
─ Não ─ murmurou o Isaac, o peito inflando por causa da respiração ofegante.
─ Esse é o problema da dor – o Augustus disse, e aí olhou pra mim. ─ Ela precisa ser sentida”.

. John Green in A Culpa é das Estrelas .

Nada Esperava

Ainda não cansara de existir e bastava-se tanto que às vezes, de grande felicidade, sentia a tristeza cobrí-la como a sombra de um manto, deixando-a fresca e silenciosa como um entardecer. Ela nada esperava. Ela era em si, o próprio fim”.

. Clarice Lispector in Perto do Coração Selvagem .

Resenha: A Menina que Roubava Livros


Livro:
A Menina que Roubava Livros
Autor(a): Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 480

Nota: 5
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

 

Primeiro, as cores.
Depois, os humanos.
Em geral, é assim que vejo as coisas.
Ou, pelo menos, é o que tento”.

A quarta capa do livro diz que “quando a morte conta uma história, você deve parar para ler”. E deve mesmo. Esse livro quase desbancou o meu favorito “O morro dos ventos uivantes”. Ficou ali em segundo por um décimo! É perfeito, suave e trágico ao mesmo tempo!

Continuar lendo “Resenha: A Menina que Roubava Livros”

Máquina de Escrever

Uma máquina de escrever detonou meu destino. Foi uma Hispano-Olivetti, e dela me separou durante semanas o vidro de uma vitrina. Visto hoje, do parapeito dos anos passados, é difícil acreditar que um simples objeto mecânico pudesse ser potencial suficiente para alterar o rumo de uma vida e dinamitar em quatro dias todos os planos traçados para sustentá-la. Pois assim foi, e nada pude fazer para impedir”.

. María Dueñas in O tempo entre costuras .

As pessoas são…

─ As pessoas são muito malvadas.
─ Malvadas não. Imbecis, o que não é a mesma coisa. O mal pressupõe uma determinação moral, intenção e certa inteligência. O imbecil ou selvagem não para para pensar ou raciocinar. Age por instinto, como besta de estábulo, convencido de que está fazendo o bem, de que sempre tem razão e orgulhoso de sair fodendo tudo aquilo que lhe parece diferente dele próprio, seja em relação à cor, credo, idioma, nacionalidade ou pelos hábitos que tem no momento de ócio. O que faz falta no mundo é mais gente ruim de verdade e menos espertalhões limítrofes”.

. Carlos Ruiz Zafón in A Sombra do Vento .

Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

Aproximadamente 55,000 turistas visitam Liechtenstein todo ano. Este blog foi visitado aproximadamente 170.000 vezes em 2012. Se fosse Liechtenstein, teria demorado 3 anos para que essa quantidade de pessoas o visitasse. Seu blog teve mais visitas do que um pequeno país na Europa!

Clique aqui para ver o relatório completo