1010 maneiras de comprar livros sem dinheiro

Uma iniciativa que começou como brincadeira no Dia do Livro quer fazer as pessoas repensarem no valor material que dão às coisas

O dia do livro já foi comemorado (no dia 23 de abril), mas uma de suas iniciativas vale a atenção durante todo o ano. Ela surgiu na Espanha cerca de três anos atrás e tem o sugestivo nome de “1010 Ways To Buy A Book Without Money” ( ou 1010 Maneiras de Comprar Um Livro Sem Dinheiro).

divulgaçãoO projeto propõe que o dinheiro seja trocado por ações mais ou menos complexas que façam bem à comunidade.

A ideia é que, na data festiva, os livreiros e livrarias vendam seus produtos por ações que os clientes façam na hora. Cada livro ganha um “preço” como ligar para a mãe e declarar o amor por ela, fazer um moonwalk, convidar alguém para dançar na rua e até mesmo fazer algum desconhecido sorrir.

Mas a intenção do projeto, criado pela agência de publicidade Carlitos e Patricia, de Barcelona, não é promover a bizarrice ou fazer alguém passar vergonha. O objetivo é que todas as ações usadas como moeda de troca representem algo positivo para a sociedade. Há livros “caros”, por exemplo, que custam uma doação de sangue ou uma promessa de abandonar o cigarro.

A ideia já saiu de Barcelona. Neste ano, edições do evento aconteceram em diversas cidades do mundo, sempre com a intenção de incentivar a troca de ações por livros. A meta do projeto, contudo, é que outros objetos e serviços passem a ser “vendidos” da mesma forma. Assim, seria espalhada entre as pessoas a cultura do “buy without money” e elas poderiam repensar no valor (quase sempre material) que dão às coisas.

Fonte: Catraca Livre

Suspiro de Felicidade

Eu quero levar um soco de felicidade, mas parece que felicidade não dá soco, só suspira perto de você. O que dá soco é tristeza”.

. Monique Farias do blog Aparente Liberdade .

Por trás há

As pessoas falam coisas, e por trás do que falam há o que sentem, e por trás do que sentem há o que são e nem sempre se mostra”.

. Caio Fernando Abreu in Morangos Mofados .

Escapar

Quando você está mal, quando vê tudo negro, quando não tem futuro, quando não tem nada a perder, quando… Cada instante é um peso enorme, insustentável. Você suspira o tempo todo. E gostaria de se libertar de qualquer jeito. De qualquer forma. Mesmo da maneira mais simples, a mais covarde, para que amanhã não surja de novo o mesmo pensamento”. 

. Frederico Moccia in Sou Louco por Você .

Resenha: Harry Potter e o Enigma do Príncipe


Livro:
Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Autor(a): J. K. Rowling
Editora: Rocco
Páginas: 510

Nota: 5
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

 

 

Sou suspeita para escrever sobre Harry Potter porque sou fã incondicional. Sempre achei que a autora foi hiper criativa na invenção do mundo mágico e muito detalhista (sem com isso deixar a história cair na chatice e monotonia) quando se tratava de explicar o mundo bruxo e todas as suas maravilhas. Além disso a história é encantadora e é impossível não se apaixonar por suas personagens tão bem elaboradas. Nesse ínterim preciso deixar claro meus favoritos no mundo mágico são e sempre serão: Rony Weasley e Severus Snape. E é também por esse motivo que meu livro favorito de toda essa maravilhosa saga é “O Enigma do Príncipe”, o terceiro livro da saga onde Harry Potter não aparece no primeiro capítulo.

O livro começa com duas situações já muito interessantes que são as reuniões do Ministro dos Trouxas com o Ministro da Magia e o encontro das irmãs Belatrix e Narcisa com um dos fieis servos de Voldemort. Eu acho que esse livro é o divisor de águas. É quando a trama se torna intensa e madura. Quando Voldemort para de ser apenas aquele espectro do mal rondando Hogwarts e o mundo bruxo e se torna um perigo real e amedrontador. A narrativa é sombria, como tão bem demonstrado na adaptação ao cinema (que adorei!).

Continuar lendo