Resenha: Grandes Esperanças

Livro: Grandes Esperanças
Autor(a): Charles Dickens 
Editora:
 Abril
Páginas: 656

Nota: 5
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

Não é a toa que é um clássico da literatura mundial. Logo de início se é conquistado pelo narrador e principal protagonista dessa história: Pip. Quando digo de iníco, quero dizer logo nas primeiras linhas mesmo. Pip é encantandor, e sua linguagem tem o apelo da ingenuidade da criança que torna impossível não criar uma ligação com ele. E acho que começa daí o encanto dessa obra.

Grandes Esperanças é uma história cheia “disso que chamamos de ‘minha vida'”, como diria Caio F. Tristeza, horrores, medo, insegurança, culpa e principalmente “grandes esperanças”. Pip, é um menino órfão que é criado por uma irmã muito mais velha de temperamento inflamável e seu marido, o ferreiro Joe com quem Pip cria um laço de amizade e amor muito bonito. Certo dia, ele recebe um convite e visita uma mulher muito rica, que vivia reclusa em sua mansão com sua filha adotiva, Estela. Nesta visita é que Pip conhece um mundo completamente diferente da pobreza em que vivia, trabalhando  demais e sonhando de menos. Ele sai da casa, sentindo-se inferior às duas mulheres, mas tão encantado com Estela, que compromete-se a voltar na semana seguinte e assim o faz, por diversas vezes.

Confesso que a primeira vez em que fiz esta resenha, eu não toquei no nome de Estela, porque senti nela um quê de Chaterine Earneshaw e fiquei muito condoída por Pip e seu sofrimento por ela. Mas acabei deixando uma personagem e fato importante de lado, que é justamente ao conhecê-la e a sua riqueza que o que antes lhe parecia suficiente, agora lhe parece pouco demais e Pip começa então a almejar outras conquistas e vivências. A ter… Grandes Esperanças.  Continua vivendo na maior pobreza, até que um dia recebe uma fortuna para alcançar suas “grandes esperanças” e vai viver em Londres, deixando Joe e sua irmã para trás.

Nesse novo mundo, cheio de regalias antes jamais imaginadas, Pip passará por diversas situações perigosas devidas à sua rápida ascensão social, porém preserva sua ingenuidade quase infantil dos primeiros capítulos e mantém uma afetividade descuidada em relação a Joe, seu grande amigo da infância. Muitas são as reviravoltas na vida de Pip e a história guarda grandes surpresas e um final surpreendente. Gostei principalmente da maneira como o autor ao longo do texto vai mostrando como Pip não perde suas esperanças, se agarra a elas mesmo quando já sabe do fim inevitável, recusando-se a acreditar que elas terão um fim.

Uma obra realmente fantástica, embora eu tenha que confessar que achei alguns capítulos cansativos e com informações irrelevantes ao contexto da história, mas é raro quando isso acontece e no todo a leitura é bastante prazerosa e flui com facilidade.

Recomendo!

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s