Resenha: O Fantasma da Ópera

Livro: O Fantasma da Ópera
Autor(a): Gaston Leroux
Editora:
 Ediouro
Páginas: 254

Nota: 5
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

Terminei de ler ontem esse livro fantástico e meu coração e sentimentos se dividem entre admiração, tristeza e pesar por Erik, o Fantasma da Ópera, assim como por Heathcliff de O Morro dos Ventos Uivantes. Ambos tem as almas torturadas e nunca conheceram o significado da palavra amor e compaixão.

A história é narrada pelo autor como se fosse um personagem, o que faz o livro parecer ainda mais real. Os fatos e acontecimentos vão sendo narrados de forma muito envolvente e você quer mergulhar nos mistérios e cada vez mais conhecer a história do fantasma que assombra o teatro em Paris, a princípio um monstro, que comete crimes hediondos, mas conforme a leitura vai se desenrolando você descobre um gênio de talento sem igual, com um segredo que carrega no rosto e um sofrimento terrível. Todo mundo sabe da minha predileção por “vilões” e eu sempre soube que o fantasma tinha uma história triste, que obviamente não justifica os assassinatos, mas explica as influencias que transformaram sua alma torturada e seu coração tão amargurado. Há sempre muita dor e sofrimento por trás de atos que julgamos imperdoáveis.

Assim como por Heathcliff, eu senti ternura e vontade de abraçar Erik em muitos momentos. Torci por ele também em relação a Christine (e diferente da Catherine de O Morro dos Ventos Uivantes, eu não a odeio). Acredito que tudo aconteceu como tinha de acontecer numa história trágica e monumental. Do meu número, costumo brincar. São essas histórias de amor, ódio, sentimentos HUMANOS verdadeiros e sem fantasias e máscaras, que me encantam e entram para os favoritos da vida.

Sem sombra de dúvida essa história não iria ficar de fora. Recomendo muitíssimo a leitura, que traz em maiores detalhes a história de Erik e acontecimentos fantásticos e terríveis. Mas também aconselho assistir a peça teatral que retrata quase fielmente esta obra nos palcos do Teatro Renault em São Paulo.