BIBLIOTECAS IMAGINÁRIAS

  • Uma biblioteca de livros nunca escritos: as “pequenas obras” de Sherlock Holmes, tais como “uma pequena obra de investigação acerca da influencia de uma profissão sobre o formato da mão, com litografias de mãos de telhadores, marinheiros, corticeiros, tipógrafos, tecelões e lapidadores de diamantes”, sua monografia sobre a identificação de rastros, e o célebre Acerca da distinção entre as cinzas de vários tabacos, ilustrado com lâminas coloridas;
  • Uma biblioteca de livros reais lidos por personagens imaginários: Holmes lê os clássicos alemães e, para sustentar uma visão romântica da pequenez do homem no universo remete Watson a Jean Paul. De modo ainda mais surpreendente, Watson responde que já o leu: “Cheguei a ele por intermédio de Carlyle” (o que suscia o comentário de Holmes: “isso foi como seguir o córrego até chegar ao lago que o origina”).

Alberto Manguel in Os Livros e Os Dias

Resenha: A Garota das Laranjas

Livro: A Garota das Laranjas.
Autor(a): Jostein Gaarder
Editora:
Companhia das Letras
Páginas: 132

Nota: 5
(1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

Cartas, cartas…
Acho que Jostein Gaarder era um apaixonado por cartas! A maioria dos livros que li dele, os personagens usam de cartas para se comunicar e acho isso apaixonante. Não sou muito fã de livros escritos em primeira pessoa, ou pelo menos não era. Acho que ultimamente li alguns desses e tenho gostado bastante. A gente muda, não é mesmo? Mas as cartas de Gaarder sempre me cativaram e nesse livro não foi diferente.

Nesta história, um pai que já se foi há onze anos, volta a se comunicar com seu filho, hoje com 15 anos, através de uma carta que deixou escondida no seu carrinho de bebê. Através dessa carta, o pai compartilha com o filho uma história muito bonita sobre A Garota das Laranjas e você se vê envolvido e desesperado pra descobrir porque ela carregava um saco de papel cheio de laranjas, porque eles se encontravam raramente e furtivamente e porque quando se conversam de verdade, ela pede pra que ele a aguarde por 6 meses.

Todos esses acontecimentos envoltos da magia dos pensamentos reflexivos e indagativos que toda obra de Jostein Gaarder tem. A Filosofia está ali entre as linhas, entre as palavras, e entre os seus próprios pensamentos que acompanhando a narrativa também começam a flutuar até o mundo das ideias!! Recomendo, como todo livro de Gaarder. Uma leitura super rápida e fluida e que marca o coração e faz pensar.

Nova Identidade Visual

O Blog “Entre Aspas” já tem 12 anos. Sim, tudo isso. Ele nasceu dia 17/04/2007, no dia em que a “Lyani” também passou a existir. É assim que assino todos os meus poemas, contos, enfim… É um trabalho que faço com muito amor e é totalmente amador, porque eu não ganho nada com ele. Não, na verdade eu ganho sim. Satisfação pessoal. É onde guardo minhas coisas mais queridas. E eu sempre quis que ele tivesse uma identidade única, diferente dessas que usei até hoje, feitas amadoramente por mim e de imagens copiadas do google. Eis que ganhei uma ilustração de um ex-aluno querido do SESI/SENAI e não tive dúvidas! Pedi esse job pra ele e olha só que lindo que ficou tudo! O logo, as cores, os detalhes… Amei!!! E super recomendo o trabalho dele. Contatos no final.

O que acharam??? ❤ ❤ ❤

Seguem os contatos do talentoso criador dessas ilustrações digitais:
Pedro Joabe – @pjoabeilustras @_pedr0j0