Resenha: A Mão e a Luva

Livro: A Mão e a Luva
Autor: Machado de Assis
Editora: @taglivros
Páginas: 176
Nota 4/5

Segundo livro publicado do autor, inicialmente em formato de folhetim. Nesta novela vamos conhecer Guiomar, uma bela jovem que vive com sua madrinha baronesa e está sendo cortejada por três pretendentes bastante distintos em personalidade. Estevão dá início a novela e seu cortejo dura muito pouco, já que ambos são ainda muito jovens e a moça não sente por ele nada além de estima. Demora muito tempo pra superar esse baque, mas conta com a amizade de Luis Alves para isso.

Passado alguns anos, voltam a se encontrar, e ele tenta novo cortejo e mais uma vez é rejeitado por Guiomar que é moça de personalidade forte e que tem clareza do que deseja para si, não se deixando levar por palavras bonitas e pelo ímpeto das paixões.

É então que surge Jorge, sobrinho da Baronesa e que vem visitá-la por um tempo. Ele se encanta por Guiomar e decide deixar uma carta para ela declarando seus sentimentos. A moça, no entanto, apesar de achá-lo interessante e sentir-se aflita em relação a madrinha que tem muito apreço por ele, não tem certeza de que seria a escolha certa para a vida que almeja para si, muito embora esteja levando a carta em consideração.

Para completar a equação, Luis Alves, que acompanha os cortejos de Estevão há tempos e também os recentes de Jorge, decide declarar sua admiração por Guiomar, mas o faz sem os rodeios e floreios das paixões, demonstrando maturidade e segurança e deixando a moça em situação difícil para decidir o seu futuro.

Apesar de ser uma de suas primeiras obras, Machado já demonstra toda genialidade em explorar a natureza humana de seus personagens e através deles soltar boas críticas à sociedade da época e aos seus costumes e em envolver o leitor com pitadas ácidas de humor e comentários como se fossemos seus confidentes. Acho que é impossível que algo que Machado tenha escrito não carregue seu talento e natural qualidade na escrita.

Super recomendo a leitura!
#blogentreaspas#leiamaisautoresnegros#leianacional 📚