Perda

“tudo escorre e
tudo é perda
mesmo quando estou fazendo
o que imaginei que gostaria de estar fazendo”.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Esquisito

“acho bonito,
mas acho esquisito também,
o amor.
quando longo
é coisa de quem mente
porque
se for pra ser sincera…”.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Tempo pra ver

“são muitas
as horas
na mesa
de trabalho e o mundo lá fora, esperando, tem o que no mundo
quando há tempo pra ver?

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Morto

“aconteça o que acontecer um morto está morto, não há urgência que o faça levantar ou ser triste
tampouco alegre, é o nada absoluto que
me soa como belo”.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Eu mesma

“aproveito e tiro uma foto
de dentro da minha cabeça. daqui um tempo
olharei pra ela e
ficarei triste
por eu ser eu mesma
e não haver outra saída possível pra deixar de ser eu e ainda assim seguir vivendo”.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Alguma coisa

“O que eu estaria fazendo se eu pudesse ter escolhido fazer alguma coisa?”

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Vento

“e desde que estamos juntos, parece que alguém acelerou os relógios do mundo, penso que isso é Amor”

Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto

Rastros

e da janela se vê na rua
um bando de gente caída nos lixos que são
camas, eles comem
papel
pra ter o que mastigar além da fome e morrem
de medo e
abandono.
dentro dos prédios não há
rastros de que essas pessoas existem”.


. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

Saudade

“chorei de saudade da
Carla minha menina
intacta que sempre soube fazer do medo
um pó
de risada nossa”.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .

fora, nunca mais.

– ela não volta.
quer dizer,
ela só volta dentro de nós toda vez que alguém pensar nela.
fora, nunca mais.

. Aline Bei in O Peso do Pássaro Morto .