“Eu estava só: pela primeira vez compreendi o sentido terrível dessa palavra, Só: sem testemunha, sem interlocutor, sem a quem recorrer. Minha respiração no peito, meu sangue nas veias, a confusão na minha cabeça, tudo isso não existia para ninguém”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Vida

“Eu amava a vida: não podia admitir que ela se transformasse amanhã em um lamento sem esperança”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Homem

“Papai gostava de dizer: ‘Simone tem um cérebro de homem. Simone é um homem.” No entanto, tratavam-me como menina. Jacques e seus colegas liam livros de verdade, estavam a par dos verdadeiros problemas; viviam ao ar livre; quanto a mim, fechavam-me num quarto de crianças. Não me desesperava. Confiava no futuro. Pelo saber, pelo talento, algumas mulheres haviam conquistado um lugar no universo dos homens Mas eu me impacientava com esse atraso que me era imposto”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Devorar

“Sempre que me encontrava só em casa, abastecia-me livremente dos livros da biblioteca. Passava horas maravilhosas, no fundo da poltrona de couro, devorando a coleção”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Monotonia

“A monotonia da existência adulta sempre me inspirara piedade”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Alegria

“Minha primeira alegria consistia em surpreender, bem cedinho, o despertar dos prados. Com um livro na mão, deixava a casa adormecida…”

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Paraíso

“Mamãe estava inscrita, agora, na Biblioteca Cardinale, na praça Saint Sulpice. Uma mesa sobrecarregada de revistas ocupava o centro de uma grande sala de onde se irradiavam corredores atopetados de livros. Os interessados tinham o direito de passear por eles. Experimentei uma das maiores alegrias de minha infância no dia em que minha mãe me comunicou que me oferecia uma inscrição pessoal. Plantei-me em frente da prateleira reservada às obras para a juventude e na qual se alinhavam centenas de volumes: “Tudo isso é meu”, disse a mim mesma, encantada. A realidade ultrapassava meu sonho mais ambicioso: abria-se diante de mim o paraíso, até então desconhecido, da abundância”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Desafio

“A passividade a que meu sexo me condenava, eu a convertia em desafio”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Sozinha

“No presente e no futuro, eu me gabava assim de reinar sozinha sobre minha própria vida”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça Bem-Comportada .

Literatura

“A literatura permite vingar-se da realidade”.

. Simone de Beauvoir in Memórias de uma Moça bem Comportada .