Canal?!?!?

Sim. Ou talvez, pelo menos… 😛

Faz bastante tempo que tenho uma certa vontade efêmera de fazer vídeos falando sobre a minha paixão: LIVROS! Mas sempre fiquei com vergonha, não tenho talento pra edição de vídeos, não fazia nem ideia de como começar. Mas, estava um dia de bobeira em casa e resolvi tentar! Filmei no celular mesmo!! Cheio de erros, amadorismo, convidados especiais (minha calopsita e minha cachorra rsrsrs), mas feito com amor, isso foi!! ❤

Assistindo alguns tutoriais encontrei um editor e fiz as edições no próprio celular, então os cortes e efeitos não ficaram tão legais. Tentando subir o vídeo no youtube descobri que não estava no formato correto e assisti mais alguns tutoriais até achar um conversor legal. No fim, achei que a qualidade não ficou tão boa quanto eu gostaria, mas como é um teste, uma tentativa, uma experiência, resolvi colocar no ar, pra ver no que daria!!

Está aí pra vocês assistirem e curtir, criticar, sugerir melhorias, mudanças, sugerir que eu pare (kkk), enfim… DIVIRTAM-SE e me ajudem com feedback , por favor!! ❤

Ah, e eu não poderia deixar de pedir um PERDÃO imenso a linda Beatriz PALUDETTO!!! Eu errei seu sobrenome no vídeo, me perdoa!!! Sou sua fã!!! Prometo que já decorei o jeito certinho agora ❤

=D

Sobre a 25ª Bienal do Livro de SP

Ah, o que falar desse evento? É maravilhoso demais, podem dizer as más línguas o que quiserem, é um local mágico de encontro de leitores, autores, profissionais da área (me incluo, bibliotecária com orgulho ❤ ), e muitas trocas de experiências, conhecimento, olhares, enfim…  A Bienal do Livro é um momento que proporciona muita interação nesse mundo literário e eu fico sempre muito feliz de ver aquele galpão lotado de gente em busca de cultura, conhecimento, e aprendizado para a vida! Tem atrações para todas as idades, gêneros literários para todos os gostos, e muita, muita promoção desta vez. Vamos quebrar a ideia de que livro na Bienal é mais caro que na internet?  Vou mostrar minhas aquisições:

Continue lendo “Sobre a 25ª Bienal do Livro de SP”

De Novo? Sim, SEMPRE!

“E o que me faz recordá-la? Não posso olhar para este chão, pois seus traços estão impressos nas lajes! Em cada nuvem, em cada árvore… enchendo o ar à noite, e vislumbrada em cada objeto de dia… Estou cercado pela sua imagem! Os rostos mais comuns de homens e mulheres, meus próprios traços, debocham de mim com alguma semelhança. O mundo inteiro é uma terrível coleção de recordações de que ela existiu, e de que eu a perdi!”

. Emily Brönte in O Morro dos Ventos Uivantes .

E eu me pergunto… Como não amar? É por essas e outras citações que esse livro se tornou simplesmente O LIVRO pra mim. Acho que vocês já estão até cansados de me ver falar dele, mas eu me sinto como Snape, quando perguntado de seu amor pela Lily: “Always” ❤

Terminei de ler, pela… Nem sei quantas vezes já li. E a emoção é sempre a mesma. O amor por cada personagem querido, a raiva de cada personagem odioso, as angústias, as dores. É sempre como se eu estivesse lendo pela primeira vez: impactante, memorável. É impossível não ver na escrita rústica de Emily Brönte, sua brilhante inteligencia, seu talento raro e à frente de sua época, seus pensamentos complexos e não lineares que fugiam de padrões pré estabelecidos. A criação quase perfeita de seus personagens, a violência psicológica dos diálogos e cenas terríveis são ingredientes que te prendem às paginas, por mais áridas que sejam, até que você encontre apenas nas últimas linhas um raio de sol que escapa por entre nuvens pesadas de tempestade.

Sim, como bem disse Tati Feltrin em sua maravilhosa resenha deste livro (assista aqui), O Morro dos Ventos Uivantes é uma tempestade. Não há um sequer momento de pausa entre os ventos fortes, as destruições causadas, o frio gélido das gotas. É um romance para ser lembrado. Uma única obra, capaz de atravessar os séculos como um clássico da literatura universal. Não preciso dizer que a leitura é mais do que recomendada, essencial, preciso?

Leia mais sobre o que acho dessa obra, aqui na resenha oficial.

Compulsão Patológica

Tenho. Descobri quando fui tirar uma foto que postei inclusive aqui, das edições do meu livro favorito: O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brönte e descobri que eram 18!! 18 edições diferentes do mesmo livro. Porquê… SIM. Porquê eu amo, e, pior… Não consigo ver uma edição nova e que eu não tenha e não comprar. Recentemente participei de um Seminário em Santiago, Chile e o que aconteceu? Tive que comprar uma edição em espanhol, já que ainda não tinha nessa língua.

Mas também não é QUALQUER edição que eu saio comprando. Tem que ser bonita, bem diagramada, diferente. Não é um papel de jornal que vai me conquistar 😛 Ou seja, já estou na etapa final da compulsão patológica que Mindlin, bibliófilo brasieliro, explicou bem melhor do que eu jamais faria:

Roubartilhei daqui:

A relação dos homens com os livros, em particular a dos bibliófilos, aqueles que por eles se apaixonam, passa por três estágios. Primeiro, os homens pensam que conseguirão ler um número de livros maior do que de fato é possível. Num segundo estágio, consequência imediata do primeiro, passam a desejar ter em mãos o maior número possível de obras dos autores de quem gostam. Num terceiro momento, já siderados, surgem o interesse pelas primeiras edições, geralmente raras, e a atração pelo livro como objeto de arte. Esta última fase é definida pelo mais célebre bibliófilo brasileiro, o empresário paulista José Mindlin, como perdição.

Quando se chega a esse estágio, aquele que pensava em ser na vida apenas um leitor metódico está irremediavelmente perdido”.

Confessa Mindlin. A patologia – doce patologia – está instalada em definitivo. Essa tese é defendida logo na abertura de “Uma Vida entre Livros – reencontros com o tempo.

Primeiro se começa com as edições comuns. Depois vem o interesse pelo livro bonito, com ilustrações e bem diagramados. A próxima é a busca das primeiras edições de um determinado título. Passa-se, então, a procurar exemplares autografados. A última etapa é a consciência da raridade. E aí você está definitivamente perdido.

Com toda certeza já estou DEFINITIVAMENTE perdida! ❤

Resenha Especial: O Colecionador

“Só aquelas palavras, ditas e sentidas: Gosto tanto de você…
Palavras sem esperança, que ele dissera, como poderia ter dito: tenho um câncer.
O seu conto de fadas”.

Chegou!!! É claro que eu comprei, imagina se eu ia conseguir me segurar e esperar um dia além do lançamento pra ter esse livro em mãos?!? Aproveitei a promoção, desta vez da Saraiva do #DiadoLivro e fiquei aguardando ansiosa. Mas nada tinha me preparado pra beleza desse livro. Eu estou simplesmente, APAIXONADA (sim, em caixa alta, em alto e bom som e negrito 🖤). Acho que essa Editora DarkSide, não é de Deus não. Foi feita pra levar a gente pro fundo do poço da falência!!! Que que isso pessoal? Como é que pode terem feito um livro TÃO, TÃO lindo desse jeito! Eu abri e fiquei uns 10 minutos olhando, alisando, abrindo, cheirando (sim, sou dessas, tenho uma história engraçadíssima sobre isso que vou pensar se conto pra vocês um dia 😛 )!! Gente, sério, mesmo que você não curta o estilo literário, vale a pena SÓ pela beleza do livro, a diagramação, as ilustrações, o corte do livro colorido. Enfim… Tentei por nas fotos um pouco dos detalhes e beleza, mas o impacto é só ao vivo mesmo. Vocês terão que pagar pra ver! E olha que está tendo promoção na  Amazon Brasil essa semana também pelo  #DiadoLivro… Aproveita! CORRE! NÃO PERDE! Já foi?

Certo, vamos ao conteúdo… Continue lendo “Resenha Especial: O Colecionador”

Aposte no Escuro!

Sim, esse foi o resultado da promoção maravilhosa #sextou13 que a Editora DarkSide junto com a Amazon Brasil fizeram nessa última sexta-feira 13. Eu não conhecia muito da editora, até me deparar com uma edição de um livro maravilhosamente diagramado por ela chamado A Menina Submersa (livro que ainda não fiz resenha 😥 mas que AMEI demais e preciso logo resolver essa pendência). Daí pra frente, eles só fizeram lançar livros maravilhosos, com capas lindíssimas, cortes coloridos, belissimamente diagramados, enfim! Eu fui me apaixonando cada vez mais pela editora. Recentemente inclusive, eles estão lançando um livro que eu AMO e fiquei muito impressionada quando li, que é O Colecionador. E imagina se não está um arraso? E se eu já não estou louca pra comprar???

Mas vamos falar dos livros que comprei na promoção #sextou13: Eu estava há tempos atrás de uma edição de Frankenstein  à altura da minha estante, mas não tinha encontrado ainda nenhuma que me encantasse… Até agora! Olha bem pra essa edição maravilhosa impressa em duas cores: preto e sangue 😯 com ilustrações lindíssimas de Pedro Franz, reconhecido internacionalmente. É de tirar o fôlego e eu to super feliz de ter Mary Shelley e seu clássico da literatura na estante! #mulheresnaliteratura 💪🏼🖤

Pra quem ainda não sabe, eu AMO Stephen King! Mestre, Rei!!! Tenho plena consciência de algumas situações em sua escrita que deixam a desejar, mas continuo admirando mesmo assim, porque ele é um gênio na criação de personagens, situações, e por favor, ele escreve livros imensos numa velocidade incrível e você pode dizer o que quiser, mas são impressionantemente criativos! Eu gosto pra caramba do que ele escreve, então eu não podia, de jeito nenhum, ficar sem essa biografia lindíssima com esse nome lindíssimo: Coração Assombrado! Ah, que lindo e que edição! 📖🖤

Os outros dois confesso que comprei, um pelo título: Só os Animais Salvam  🐕🐥 (Não há necessidade de maiores explicações, há?) e o outro pela beleza embora depois de ler a sinopse eu tenha me interessado muito pela história também:  Diário de uma Escrava.

E só sei que todos vão ficar lindos na minha estante!!! 📚📖 Sim, é compulsão 💸, patologia, loucura mansa, como diria José Mindlin. Eu sei, eu sei, fazer o que? 😛

Outono

Que chegue, trazendo brisas frias
Derrubando folhas, tristezas e solidão
Que leve, todo exagero
Que reste, luz fraca, brisas e lembranças
Suave, ameno e confortador
Triste, mas aceitável
Nada de paixões ardentes
Nada de dores profundas
Só a suavidade de ambas, calmaria sem explosão
Suave torpor que confunde mas não se perde
Leveza de todo o sentir
Nem tão calmo, nem tão breve
Outono
Estação e Sentimentos

{ Lyani } 20/03/2007

Creative Commons LicenseEsta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons

Resenha: Pequena Abelha


Livro:
 Pequena Abelha
Autor(a): Chris Cleave
Editora:
 Intrinseca
Páginas: 272

Nota: 5
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

~

Arrebatador!
Pequena Abelha é de tirar o fôlego e o sossego. Não tem como você ler essa história e não se sentir um pouco incomodada com a realidade de que lá fora no mundo pessoas estão sofrendo, morrendo, passando por horrores enquanto nossa única reação é dizer “que horror” em frente ao noticíario tomando uma chá, ou café, ou qualquer coisa. A maneira especial com que o autor narra a história é totalmente envolvente e apaixonante. Demorei pra ler por pura falta de tempo, pois é o tipo de livro que você devora inteiro, sem conseguir largar. A história é sobre… Bem, não posso contar muito. A sinopse do livro na quarta capa diz o seguinte:

Depois de ler este livro, você vai querer comentá-lo com seus amigos. Quando o fizer, por favor, não lhes diga o que acontece. O encanto está sobretudo na maneira como esta narrativa se desenrola”

E realmente é esse o encanto do livro e como não posso contar muito, vou contar só um pouquinho: é uma história sobre um encontro de duas mulheres numa praia da Nigéria. Um encontro onde uma delas precisa tomar uma decisão terrível. Dois anos após esse dia fatídico elas se reencontram e então tudo começa…

Leitura super recomendada!

Resenha: Através do Espelho


Livro:
 Através do Espelho
Autor(a): Jostein Gaarder
Editora:
 Companhia das Letras
Páginas: 141

Nota: 3
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

~

Leitura rápida e típica de Gaarder: filosofia, mistérios e um bom drama. Este livro conta a história triste de Cecília Skotbu, uma encantadora menina que não viverá muito tempo. A cada dia ela fica mais fraca e já logo no início do livro está de cama, sem conseguir levantar-se nem mesmo para o almoço de Natal. Embora seu corpo esteja debilitado, sua mente é muito ágil e ela fica sempre muito atenta a todos os ruidos da casa e de seus familiares. Anota em seu caderninho, presente do médico que cuida dela, tudo que está acontecendo a sua volta nestes ultimos momentos de vida que lhe restam. Um belo dia, ela recebe a visita do anjo Ariel e com ele compartilha seus sentimentos e emoções, enquanto recebe de volta muitos conhecimentos sobre os mistérios dos céus, do universo e da vida. É uma bela história, com trechos das conversas entre Ariel e Cecília muito emocionantes e que nos faz refletir, como todo livro de Gaarder. Não é um dos que mais gostei dele, mas é uma leitura recomendada!

Resenha: O Castelo de Vidro


Livro:
 O Castelo de Vidro
Autor(a): Jeannette Walls
Editora:
 Nova Fronteira
Páginas: 368

Nota: 4
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

~

Esta é a realidade!
Este livro é uma autobiografia impressionante da jornalista Jeannette Walls desde os seus 3 anos até a idade adulta. A autora vai descrevendo fatos tão chocantes de sua vida que em vários momentos fiquei me perguntando: será que é possível?

Sim, é. Esta é a realidade. O livro nos faz refletir sobre nossas próprias vidas, nossos relacionamentos em família, as circunstâncias que achamos dramáticas e que em relação ao que essa jornalista viveu se torna tão mais aceitável e normal.

O que achei mais impressionante é que apesar dos absurdos e horrores vividos, a autora descreve tudo de forma natural e otmista. Como se os momentos terríveis vividos por ela e sua família ao longo do tempo só tivessem acontecido para torná-los fortes. E com certeza os tornam, pois conseguem sobreviver a todos esses momentos e ainda rir deles. No fim, há uma espécie de final feliz, apesar de tudo.

Jeannette Walls é uma sobrevivente e soube contar sua história de forma a nos manter presos nas páginas do livro. Leitura recomendada!