Resenha: Star Wars V – O Império Contra-Ataca

Livro: Star Wars – V: O Império Contra-Ataca
Autor: George Lucas, Donald F. Glut e James Kahn
Editora: @darksidebooks
Páginas: 153
Nota: 5/5 🖤
📚LC @nerdvino

“Nínguem grande a guerra deixa”

A história começa com os rebeldes no planeta gelado de Hoth, local que escolheram para instalar a base rebelde três anos depois da destruição da Estrela da Morte. Tudo parece calmo até Luke Skywalker ser atacado por um Wampa durante sua vistoria e Han Solo ter que adiar sua partida. Enquanto isso, Darth Vader não desiste e está lançando sondas espiãs por toda a galáxia em busca dos rebeldes, encontrando algumas pistas e junto da sua frota imperial parte no intento de destruir todos eles.

Este livro está repleto de batalhas sensacionais e a grande maioria travada assim que o império encontra a base rebelde. É incrível como a descrição das cenas de combates nos remetem muito ás da tela e é uma forma de rememorar esse clássico. A narrativa é bem mais fluída que o primeiro episódio, talvez pela sequência de cenas de ação, e te deixa o tempo todo em suspensão e sem fôlego.

É nesse episódio que Luke encontra Yoda e vai ser treinado por ele e são capítulos sensacionais com o Mestre Jedi mais querido e sábio de todos os tempos. Temos também um pouco de romance com os cabeças-duras Han Solo e Leia Organa e a forma como acontece é bastante cômica e uma delícia de ler, impossível não sorrir ou rir com esses dois que se gostam, mas fazem de tudo pra negar esse sentimento. É um episódio completo: tem drama, tem ação, tem romance, e tem reviravoltas sensacionais.

A famosa cena da luta corpo a corpo (ou melhor, sabre a sabre) de Darth Vader e Luke Skywalker está neste episódio e é tão emocionante e empolgante em palavras quanto foi assistir. A efusiva revelação do parentesco entre os dois, deixa uma tensão no ar até mesmo para aqueles que já sabiam a cena decor! Cena que eu gostaria de esquecer pra ler de novo pela primeira vez. É impressionante!!

Mas sinto que sou bastante passional para falar dessa saga, pois sou muito fã. Super recomendo a leitura! Que a força esteja com vocês!

#blogentreaspas#ficçãocientífica#starwars#scifi#life

Resenha: Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres

Livro: Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres
Autora: Clarice Lispector
Editora: @editorarocco
Páginas: 160
Nota: 5/5 💜

Este foi o primeiro romance de Clarice que eu li e confesso que amei logo de cara. A narrativa é simples e deliciosa e é impossível não se apaixonar pelas personagens tão extraordinarimanete criadas por Clarice. A história vai te envolvendo aos poucos e você se vê totalmente cativado pelas dúvidas e questionamentos de Lóri, a personagem principal, que está perdia pois não entende direito o que é “ser”.

Ulisses, seu namorado e professor de Filosofia, tenta ajudá-la a entender esse mistério e como é agradável o prazer de simplesmente existir. Durante todo o desenrolar da história, ele a desafia para refletir sobre os acontecimentos, rotineiros ou não, de sua vida e a ajuda a descobrir quem ela é, o que gosta, quais são as atitudes que lhe dão prazer, o que a desagrada.

Clarice propõe a reflexão sobre diversos conflitos emocionais e usa de uma liberdade de escrita maravilhosa, afinal uma das características famosas desse livro é que ele começa com uma vírgula e termina com dois pontos.

E há tanto mais a dizer sobre esse livro, mas minhas próprias palavras não seriam suficientes, então escolhi um trecho da própria autora que falará por si só da qualidade narrativa e beleza indescritível deste livro:

“Olhe para todos ao seu redor e veja o que temos feito de nós e a isso considerado vitória nossa de cada dia. Não temos amado, acima de todas as coisas. Não temos aceito o que não se entende porque não queremos passar por tolos. […] Não temos adorado por termos a sensata mesquinhez de nos lembrarmos a tempo dos falsos deuses. Não temos sido puros e ingénuos para não rirmos de nós mesmos e para que no fim do dia possamos dizer «pelo menos não fui tolo» e assim não ficarmos perplexos antes de apagar a luz. Temos sorrido em público do que não sorriríamos quando ficássemos sozinhos. Temos chamado de fraqueza a nossa candura. Temo-nos temido um ao outro, acima de tudo. E a tudo isso consideramos a vitória nossa de cada dia”.

Leitura mais do que recomendada, essencial.
#blogentreaspas#mulheresnaliteratura#leiamulheres#ler

Resenha: Vidas Secas (Graphic Novel)

Livro: Vidas Secas (Graphic Novel)
Autor: Graciliano Ramos
Ilustrador/Roteirista: Eloar Guazzelli/Arnaldo Branco
Editora: @galerarecord
Páginas: 107
Nota: 4/5

Li Vidas Secas há bastante tempo, mas a história tão humana e verdadeira na brilhante narrativa de Graciliano Ramos ficou marcada na memória e no coração. Portanto, quando descobri essa Graphic Novel, gênero que tenho gostado muito, não podia deixar de conferir.

A história foi adaptada pelo roteirista Arnaldo Branco, responsável pela adaptação em HQ de outros clássicos da literatura brasileira e traz o traço do premiado quadrinista Eloar Guazzelli. Para quem ainda não teve a oportunidade de ler o texto integral, é uma ótima oportunidade de ter um primeiro contato com a história de Fabiano e sua família, retirantes sertanejos, em busca de melhores condições de vida.

A Graphic novel abre novas percepções sobre a obra através dos desenhos de Guazzelli que parecem ter sido retirados de dentro da nossa imaginação. São imagens tristes que retratam os sofrimentos das personagens ao longo da caminhada.

O que me chamou muito a atenção e me deixou bastante emocionada, foi a forma como Guazzelli trouxe a essência da cadela Baleia às suas ilustrações, mantendo uma expressão de tamanho sentimento que reforça seu aspecto mais humano que os próprios humanos da história. Estes, ao contrário têm uma representação mais animalesca devido à seca e as dificuldades de suas condições de retirantes.

As cenas são riquíssimas em ilustração e sentimentos, porém senti que o roteiro traz um recorte menos impactante do que quando lido na íntegra em sua obra original, o que também pode ser um ponto super positivo e despertar o interesse dos novos leitores para conhecê-la.

Super recomendo a leitura!
#blogentreaspas#leiamaisnacional#hq#graphicnovel 📚

Resenha: Ester

Livro/Conto: Ester
Autor: Fernando Rômbola @fernando.rombola
Editora: Independente / @amazonbrasil
Páginas: 22
Nota: 5/5

Uma leitura totalmente imersiva e empolgante que em poucas páginas nos arrebata e deixa sem ar. Esse conto de Fernando Rômbola me conquistou totalmente e não vejo a hora de conhecer melhor todo esse universo nos apresentado dessa vez pelo olhar de Ester, uma cientista inteligente que dedicou muitos anos de sua vida buscando à imortalidade.

O conto começa com Ester sendo demitida e escoltada pra fora da corporação à qual dedicou toda sua vida. Na chuva, com o portão fechado a suas costas é obrigada a enfrentar uma São Paulo verticalizada pouco acolhedora. Andando sem rumo e ainda chocada com a situação, começa a sentir um aroma que há muito não existe e de repente se encontra em um universo paralelo de frente com sua versão mais jovem.

Nessa nova realidade, Ester descobre que já conseguiu desvendar o segredo da imortalidade, porém um erro de cálculo fez com que muitas versões de si mesmas se multiplicassem pelo universo. Além dessa verdade complicada, vai reencontrar sentimentos há muito esquecidos de ligações desfeitas e terá que enfrentar a si mesma de muitas formas.

Entre viagens no tempo, dimensões paralelas e paradoxos existênciais de dar um nó na cabeça e no coração, Rômbola aborda questões importantes e traz dilemas profundos que a protagonista terá que enfrentar, aprender e desenvolver. Já estou super apegada a Ester e querendo ler tudo a respeito desse universo. As páginas são poucas demais pro desejo de conhecer que o conto revela.

Sci-fi nacional de qualidade que super recomendo!
#blogentreaspas#desafiosliterários#geekculture#nerd🤖

Resenha: Seminário dos Ratos

Livro: Seminário dos Ratos
Autora: Lygia Fagundes Telles
Editora: @companhiadasletras
Páginas: 184
Nota: 5/5

Com vergonha e certa dor assumo que este é meu primeiro livro da Lygia, pois me apaixonei por sua narrativa e não acredito que ainda não tinha lido nada dela! De qualquer forma, fiquei muito feliz de ter começado por esse livro de contos que já se inicia com um conto fantástico que me lembrou um pouco de Poe, autor que recentemente li uma coletânea de contos com o @grupodeleituraentrenos ☺️

Lygia é sensacional e você sempre fica um tempo depois de terminar um conto refletindo sobre o que foi lido e sem saber ao certo o que pensar. Seus contos são envolventes e quando você menos espera te pegam de algum jeito. Uma leitura impactante e que alterna entre diferentes pontos de vista que vão do fluxo de consciência ao diálogo e perpassam por passado e presente sem nunca perder o fio da meada, e ainda trazem um quê de realismo fantástico. Não à toa foi cogitada para o Prêmio Nobel de Literatura.

Fui conquistada já no primeiro conto, As Formigas, que se tornou um dos favoritos e foi quase impossível parar a leitura antes do final. Destaco além deste, os contos Tigrela, A presença, Lua crescente em Amsterdã e claro, o conto que dá nome ao livro: Seminário dos Ratos que traz uma crítica profunda ao momento histórico e político da época e que infelizmente ainda é muito atual. A frase “A situação está sob controle” é perfeita para representar o governo da época e não muito diferente dos dias atuais.

O conto se passa em uma casa de campo onde estão reunidos alguns chefes de estado discutindo a situação dos ratos que por fim invadem a casa e devoram tudo. A genialidade da narrativa de Lygia ainda consegue nos deixar em dúvida sobre quem é humano e quem é rato na situação, o que me fez lembrar muito de A Revolução dos Bichos. Simplesmente fantástico.

Com uma cadência perfeita, Lygia aborda assuntos importantes aos pedacinhos, como se pintasse um quadro e cuja imagem completa só saberemos ao final, admirados e estarrecidos. Impossível não se apaixonar.

Super recomendo a leitura.
#blogentreaspas#leiamaismulheres#literaturanacional 📚

Resenha: Crianças da Guerra

Livro: Crianças da Guerra
Autora: Viola Ardone
Editora: @faroeditorial
Páginas: 240
Nota: 4/5

Crianças da Guerra me surpreendeu em vários momentos com sua história. A narrativa clara da autora nos apresenta a visão infantil, em primeira pessoa, de Amerigo Speranza sobre uma Itália se reconstruindo após a guerra. O cenário é de uma Nápoles em ruínas e uma pobreza extrema após o conflito. Amerigo chega a tentar capturar e vender ratos no mercado, e sua mãe tenta sustentá-lo como pode. De seu pai, sabe apenas que foi tentar ganhar dinheiro na América.

A mãe de Amerigo é uma personagem humana e com falhas muito realistas. Ela trata Amerigo com certa distância e sem muito cuidado, não mostrando receio em lhe mostrar as duras verdades da vida, que é o que ela unicamente conhece. No intuito de fazer com que ele sobreviva, ela o coloca em um programa de caridade no qual serão levados à viver com famílias ricas do Norte, até que a crise passe e possam voltar à sua terra Natal.

A medida que conhece os confortos de uma vida mais tranquila, onde pode ir à escola, estudar música, que é sua paixão, ter comida na mesa todos os dias e carinho, Amerigo começa a ficar dividido entre o amor que sente pela mãe e a afeição que começa a criar por sua nova família anfitriã. A autora consegue contrabalancear muito bem os momentos de tristeza com os momentos mais tranquilos da história, focando a narrativa na formação do personagem e suas escolhas, nem sempre fáceis, ao longo da vida.

A história me surpreendeu muito pelo crescimento emocional e pela veracidade de seus personagens. Esperei por uma história totalmente diferente, tristíssima, que traria somente agruras e momentos terríveis e me deparei com uma história comovente sobre relacionamentos humanos e laços que podem ser criados independente de serem sanguíneos e nos faz refletir sobre o verdadeiro significado de família.

Super recomendo a leitura!
#blogentreaspas#criancasdaguerra#leitura#faroeditorial

Resenha: O Jogo do Exterminador

Livro: O Jogo do Exterminador
Autor: #OrsonScottCard
Editora: @devirbrasil
Páginas: 380
Nota: 5/5 (💜)

Vencedor dos prêmios Nebula e Hugo, o livro se passa no futuro (entre 2164 e 2170) e nos apresenta um planeta Terra quase levado há extinção por dois grandes conflitos com uma espécie alienígena chamada de “abelhudos”.

Tentando se precaver de um possível terceiro conflito que pode ser fatal, os humanos se preparam para a guerra, enviando crianças para um centro de treinamento para que se tornem grandes comandantes capazes de evitar o fim do planeta.

Neste contexto conhecemos Andrew Wiggin, o terceiro filho de uma família numa época em que isso não era nada comum, já que os casais só podiam ter até dois filhos e o terceiro era passível de várias sanções sociais. Ele está sendo testado para a Escola de Combate, para qual seus dois irmãos não passaram.

Peter, seu irmão mais velho apesar de ser muito inteligente tem traços sociopatas e Valentine a irmã do meio não possui a força necessária para fazer parte do programa. Ender é selecionado, demonstrando aos 6 anos uma inteligencia acima do normal especialmente para a estratégia, ganhando todos os jogos e simulações de guerra em grupos.

Ender começa a sentir o peso de ser um prodígio quando passa a ser sabotado por colegas e professores. Lembro do quanto me incomodou o fato dele ser uma criança de apenas seis anos e estar o tempo todo sendo empurrado para seu limite.

Seu treinamento é de horas a fio, passando por desafios que estão acima da sua capacidade, descansando pouquíssimo e nunca podendo ter nenhum conforto, nem mesmo entrar em contato com a sua família, tudo para que pudesse se tornar o melhor comandante e ser bem sucedido em sua tarefa. É de cortar o coração.

Uma leitura super envolvente que te surpreenderá quando compreender a verdadeira história do conflito entre os humanos e os “Abelhudos” e te deixará sem chão no final, com uma reviravolta que é impossível de prever.

Leitura super recomendada!!!
#blogentreaspas#desafiosliterários#geekculture#nerd🤖

Simplesmente viver

“Não quero provar nada, quero simplesmente viver; não fiz mal a ninguém, senão a mim mesma. Tenho esse direito, não tenho?”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina

Mundo

“Podia passar pela porta escondida por baixo da hera a qualquer momento, e era como se tivesse encontrado um mundo todinho dela”.

#FrancesHodgsonBurnett in O Jardim Secreto

Realização

“Vronski, por sua vez, apesar da plena realização daquilo que tanto havia desejado, não era inteiramente feliz. Logo se deu conta de que a realização de seus desejos lhe proporcionou um grão de areia da montanha de felicidade que havia esperado”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina