Simplesmente viver

“Não quero provar nada, quero simplesmente viver; não fiz mal a ninguém, senão a mim mesma. Tenho esse direito, não tenho?”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina

Mundo

“Podia passar pela porta escondida por baixo da hera a qualquer momento, e era como se tivesse encontrado um mundo todinho dela”.

#FrancesHodgsonBurnett in O Jardim Secreto

Realização

“Vronski, por sua vez, apesar da plena realização daquilo que tanto havia desejado, não era inteiramente feliz. Logo se deu conta de que a realização de seus desejos lhe proporcionou um grão de areia da montanha de felicidade que havia esperado”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina

Pensamento

“Deixar um pensamento triste ou ruim entrar em sua cabeça é tã perigoso quanto permitir que entre em seu corpo a bactéria que transmite a escarlatina. Seovê o deixa ficar lá depois que ele entra, talvez nunca mais se livre dele enquanto viver”.

#FrancesHodgsonBurnett in O Jardim Secreto

Resenha: A Mão e a Luva

Livro: A Mão e a Luva
Autor: Machado de Assis
Editora: @taglivros
Páginas: 176
Nota 4/5

Segundo livro publicado do autor, inicialmente em formato de folhetim. Nesta novela vamos conhecer Guiomar, uma bela jovem que vive com sua madrinha baronesa e está sendo cortejada por três pretendentes bastante distintos em personalidade. Estevão dá início a novela e seu cortejo dura muito pouco, já que ambos são ainda muito jovens e a moça não sente por ele nada além de estima. Demora muito tempo pra superar esse baque, mas conta com a amizade de Luis Alves para isso.

Passado alguns anos, voltam a se encontrar, e ele tenta novo cortejo e mais uma vez é rejeitado por Guiomar que é moça de personalidade forte e que tem clareza do que deseja para si, não se deixando levar por palavras bonitas e pelo ímpeto das paixões.

É então que surge Jorge, sobrinho da Baronesa e que vem visitá-la por um tempo. Ele se encanta por Guiomar e decide deixar uma carta para ela declarando seus sentimentos. A moça, no entanto, apesar de achá-lo interessante e sentir-se aflita em relação a madrinha que tem muito apreço por ele, não tem certeza de que seria a escolha certa para a vida que almeja para si, muito embora esteja levando a carta em consideração.

Para completar a equação, Luis Alves, que acompanha os cortejos de Estevão há tempos e também os recentes de Jorge, decide declarar sua admiração por Guiomar, mas o faz sem os rodeios e floreios das paixões, demonstrando maturidade e segurança e deixando a moça em situação difícil para decidir o seu futuro.

Apesar de ser uma de suas primeiras obras, Machado já demonstra toda genialidade em explorar a natureza humana de seus personagens e através deles soltar boas críticas à sociedade da época e aos seus costumes e em envolver o leitor com pitadas ácidas de humor e comentários como se fossemos seus confidentes. Acho que é impossível que algo que Machado tenha escrito não carregue seu talento e natural qualidade na escrita.

Super recomendo a leitura!
#blogentreaspas#leiamaisautoresnegros#leianacional 📚

Alegria de viver

“Anna, nesse primeiro período da sua liberdade e da sua rápida convalescença, sentia-se imperdoavelmente feliz e repleta de alegria de viver”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina

Nenhuma Esperança

“Nenhuma esperança. Sei onde estou, e quem sou, e que dia é hoje. Esses são os testes, e estou sã. A sanidade é um bem valioso; eu a guardo escondida como as pessoas antigamente escondiam dinheiro. Economizo sanidade, de maneira a vir a ter o suficiente. quando chegar a hora”.

#MargaretAtwood in O Conto da Aia

Descobrir

“Uma das coisas novas que as pessoas começaram a descobrir no século anterior foi que pensamentos – somente pensamentos – são tão poderosos quanto baterias elétricas; podem ser tão bons para um indivíduo quanto a luz do sol, ou tão ruins quanto veneno”.

#FrancesHodgsonBurnett in O Jardim Secreto

Estranho

“Só acho estranho que as mulheres procurem novos deveres, quando vemos, infelizmente, que os homens em geral fogem deles”.

#LievTolstoi in Anna Kariênina

Morre

“Ninguém morre por falta de sexo. é por falta de amor que morremos. Não há ninguem que eu possa amar, todas as pessoas que eu podia amar estão mortas ou em outro lugar. Quem sabe onde estão ou quais são seus nomes agora? Poderiam muito bem não estar em lugar nenhum, como eu estou para elas. Também sou pessoa desaparecida”.

#MargaretAtwood in O Conto da Aia